A FRASE DE UM GRANDE AMIGO:

VOCÊ CONFIA EM MIM? DIAS DEPOIS ME CONVENCI DE QUE SÓ DEVO CONFIAR NA JUSTIÇA.

"Não se escravize às opiniões da leviandade ou da ignorância."
Não importa o que os outros pensam ou dizem de nós.
O que verdadeiramente importa é aquilo que realmente somos.
Tenha sua consciência tranquila, mesmo que seja condenado.
Não se esqueça de que Jesus foi condenado, e Herodes foi o vencedor momentâneo.
Mas responda: qual dos dois foi verdadeiramente o vencedor?
Fonte: Minutos de Sabedoria, C. Torres Pastorino

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

BEM-VINDO, ADEIRTON.

          Aproveitando a oportunidade em que mais um companheiro passa a ser seguidor do BRADO DE ALERTA, é com muita alegria que venho desejar a todos os familiares, amigos e seguidores deste maravilhoso canal de comunicação um ano de 2011 de muita força, realizações e coragem.
          No ano que se inicia, temos que refletir e acreditar que assim como Davi venceu Golias, venceremos os inimigos da PEC 300, basta ter fé, acreditar, porque com Deus trabalhando conosco as vitórias virão.
          Abraço a todos.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

AS LUTAS NÃO ESTÃO SENDO EM VÃO.

Portaria Interministerial nº 2/2010
16/12/2010
PORTARIA INTERMINISTERIAL SEDH/MJ Nº 2, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2010
DOU 16.12.2010
Estabelece as Diretrizes Nacionais de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos dos Profissionais de Segurança Pública.
O MINISTRO DE ESTADO CHEFE DA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA e o MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso das atribuições que lhes conferem os incisos I e II, do parágrafo único, do art. 87, da Constituição Federal de 1988, resolvem:
Art. 1º Ficam estabelecidas as Diretrizes Nacionais de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos dos Profissionais de Segurança Pública, na forma do Anexo desta Portaria.
Art. 2º A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e o Ministério da Justiça estabelecerão mecanismos para estimular e monitorar iniciativas que visem à implementação de ações para efetivação destas diretrizes em todas as unidades federadas, respeitada a repartição de competências prevista no art. 144 da Constituição Federal de 1988.
Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.
PAULO DE TARSO VANNUCHI
Ministro de Estado Chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República
LUIZ PAULO TELES FERREIRA BARRETO
Ministro de Estado da Justiça

ANEXO

DIREITOS CONSTITUCIONAIS E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ

1) Adequar as leis e regulamentos disciplinares que versam sobre direitos e deveres dos profissionais de segurança pública à Constituição Federal de 1988.
2) Valorizar a participação das instituições e dos profissionais de segurança pública nos processos democráticos de debate, divulgação, estudo, reflexão e formulação das políticas públicas relacionadas com a área, tais como conferências, conselhos, seminários, pesquisas, encontros e fóruns temáticos.
3) Assegurar o exercício do direito de opinião e a liberdade de expressão dos profissionais de segurança pública, especialmente por meio da Internet, blogs, sites e fóruns de discussão, à luz da Constituição Federal de 1988.
4) Garantir escalas de trabalho que contemplem o exercício do direito de voto por todos os profissionais de segurança pública.

VALORIZAÇÃO DA VIDA
5) Proporcionar equipamentos de proteção individual e coletiva aos profissionais de segurança pública, em quantidade e qualidade adequadas, garantindo sua reposição permanente, considerados o desgaste e prazos de validade.
6) Assegurar que os equipamentos de proteção individual contemplem as diferenças de gênero e de compleição física.
7) Garantir aos profissionais de segurança pública instrução e treinamento continuado quanto ao uso correto dos equipamentos de proteção individual.
8) Zelar pela adequação, manutenção e permanente renovação de todos os veículos utilizados no exercício profissional, bem como assegurar instalações dignas em todas as instituições, com ênfase para as condições de segurança, higiene, saúde e ambiente de trabalho.
9) Considerar, no repasse de verbas federais aos entes federados, a efetiva disponibilização de equipamentos de proteção individual aos profissionais de segurança pública.

DIREITO À DIVERSIDADE
10) Adotar orientações, medidas e práticas concretas voltadas à prevenção, identificação e enfrentamento do racismo nas instituições de segurança pública, combatendo qualquer modalidade de preconceito.
11) Garantir respeito integral aos direitos constitucionais das profissionais de segurança pública femininas, considerando as especificidades relativas à gestação e à amamentação, bem como as exigências permanentes de cuidado com filhos crianças e adolescentes, assegurando a elas instalações físicas e equipamentos individuais específicos sempre que necessário.
12) Proporcionar espaços e oportunidades nas instituições de segurança pública para organização de eventos de integração familiar entre todos os profissionais, com ênfase em atividades recreativas, esportivas e culturais voltadas a crianças, adolescentes e jovens.
13) Fortalecer e disseminar nas instituições a cultura de nãodiscriminação e de pleno respeito à liberdade de orientação sexual do profissional de segurança pública, com ênfase no combate à homofobia.
14) Aproveitar o conhecimento e a vivência dos profissionais de segurança pública idosos, estimulando a criação de espaços institucionais para transmissão de experiências, bem como a formação de equipes de trabalho composta por servidores de diferentes faixas etárias para exercitar a integração inter-geracional.
15) Estabelecer práticas e serviços internos que contemplem a preparação do profissional de segurança pública para o período de aposentadoria, estimulando o prosseguimento em atividades de participação cidadã após a fase de serviço ativo.
16) Implementar os paradigmas de acessibilidade e empregabilidade das pessoas com deficiência em instalações e equipamentos do sistema de segurança pública, assegurando a reserva constitucional de vagas nos concursos públicos.

SAÚDE
17) Oferecer ao profissional de segurança pública e a seus familiares, serviços permanentes e de boa qualidade para acompanhamento e tratamento de saúde.
18) Assegurar o acesso dos profissionais do sistema de segurança pública ao atendimento independente e especializado em saúde mental.
19) Desenvolver programas de acompanhamento e tratamento destinados aos profissionais de segurança pública envolvidos em ações com resultado letal ou alto nível de estresse.
20) Implementar políticas de prevenção, apoio e tratamento do alcoolismo, tabagismo ou outras formas de drogadição e dependência química entre profissionais de segurança pública.
21) Desenvolver programas de prevenção ao suicídio, disponibilizando atendimento psiquiátrico, núcleos terapêuticos de apoio e divulgação de informações sobre o assunto.
22) Criar núcleos terapêuticos de apoio voltados ao enfrentamento da depressão, estresse e outras alterações psíquicas.
23) Possibilitar acesso a exames clínicos e laboratoriais periódicos para identificação dos fatores mais comuns de risco à saúde.
24) Prevenir as conseqüências do uso continuado de equipamentos de proteção individual e outras doenças profissionais ocasionadas por esforço repetitivo, por meio de acompanhamento médico especializado.
25) Estimular a prática regular de exercícios físicos, garantindo a adoção de mecanismos que permitam o cômputo de horas de atividade física como parte da jornada semanal de trabalho.
26) Elaborar cartilhas voltadas à reeducação alimentar como forma de diminuição de condições de risco à saúde e como fator de bem-estar profissional e auto-estima.

REABILITAÇÃO E REINTEGRAÇÃO
27) Promover a reabilitação dos profissionais de segurança pública que adquiram lesões, traumas, deficiências ou doenças ocupacionais em decorrência do exercício de suas atividades.
28) Consolidar, como valor institucional, a importância da readaptação e da reintegração dos profissionais de segurança pública ao trabalho em casos de lesões, traumas, deficiências ou doenças ocupacionais adquiridos em decorrência do exercício de suas atividades.
29) Viabilizar mecanismos de readaptação dos profissionais de segurança pública e deslocamento para novas funções ou postos de trabalho como alternativa ao afastamento definitivo e à inatividade em decorrência de acidente de trabalho, ferimentos ou seqüelas.

DIGNIDADE E SEGURANÇA NO TRABALHO
30) Manter política abrangente de prevenção de acidentes e ferimentos, incluindo a padronização de métodos e rotinas, atividades de atualização e capacitação, bem como a constituição de comissão especializada para coordenar esse trabalho.
31) Garantir aos profissionais de segurança pública acesso ágil e permanente a toda informação necessária para o correto desempenho de suas funções, especialmente no tocante à legislação a ser observada.
32) Erradicar todas as formas de punição envolvendo maus tratos, tratamento cruel, desumano ou degradante contra os profissionais de segurança pública, tanto no cotidiano funcional como em atividades de formação e treinamento.
33) Combater o assédio sexual e moral nas instituições, veiculando campanhas internas de educação e garantindo canais para o recebimento e apuração de denúncias.
34) Garantir que todos os atos decisórios de superiores hierárquicos dispondo sobre punições, escalas, lotação e transferências sejam devidamente motivados e fundamentados.
35) Assegurar a regulamentação da jornada de trabalho dos profissionais de segurança pública, garantindo o exercício do direito à convivência familiar e comunitária.

SEGUROS E AUXÍLIOS
36) Apoiar projetos de leis que instituam seguro especial aos profissionais de segurança pública, para casos de acidentes e traumas incapacitantes ou morte em serviço.
37) Organizar serviços de apoio, orientação psicológica e assistência social às famílias de profissionais de segurança pública para casos de morte em serviço.
38) Estimular a instituição de auxílio-funeral destinado às famílias de profissionais de segurança pública ativos e inativos.

ASSISTÊNCIA JURÍDICA
39) Firmar parcerias com Defensorias Públicas, serviços de atendimento jurídico de faculdades de Direito, núcleos de advocacia pro bono e outras instâncias de advocacia gratuita para assessoramento e defesa dos profissionais de segurança pública, em casos decorrentes do exercício profissional.
40) Proporcionar assistência jurídica para fins de recebimento de seguro, pensão, auxílio ou outro direito de familiares, em caso de morte do profissional de segurança pública.

HABITAÇÃO
41) Garantir a implementação e a divulgação de políticas e planos de habitação voltados aos profissionais de segurança pública, com a concessão de créditos e financiamentos diferenciados.

CULTURA E LAZER
42) Conceber programas e parcerias que estimulem o acesso à cultura pelos profissionais de segurança pública e suas famílias, mediante vales para desconto ou ingresso gratuito em cinemas, teatros, museus e outras atividades, e que garantam o incentivo à produção cultural própria.
43) Promover e estimular a realização de atividades culturais e esportivas nas instalações físicas de academias de polícia, quartéis e outros prédios das corporações, em finais de semana ou outros horários de disponibilidade de espaços e equipamentos.
44) Estimular a realização de atividades culturais e esportivas desenvolvidas por associações, sindicatos e clubes dos profissionais de segurança pública.

EDUCAÇÃO
45) Estimular os profissionais de segurança pública a frequentar programas de formação continuada, estabelecendo como objetivo de longo prazo a universalização da graduação universitária.
46) Promover a adequação dos currículos das academias à Matriz Curricular Nacional, assegurando a inclusão de disciplinas voltadas ao ensino e à compreensão do sistema e da política nacional de segurança pública e dos Direitos Humanos.
47) Promover nas instituições de segurança pública uma cultura que valorize o aprimoramento profissional constante de seus servidores também em outras áreas do conhecimento, distintas da segurança pública.
48) Estimular iniciativas voltadas ao aperfeiçoamento profissional e à formação continuada dos profissionais de segurança pública, como o projeto de ensino a distância do governo federal e a Rede Nacional de Altos Estudos em Segurança Pública (Renaesp).
49) Assegurar o aperfeiçoamento profissional e a formação continuada como direitos do profissional de segurança pública.

PRODUÇÃO DE CONHECIMENTOS
50) Assegurar a produção e divulgação regular de dados e números envolvendo mortes, lesões e doenças graves sofridas por profissionais de segurança pública no exercício ou em decorrência da profissão.
51) Utilizar os dados sobre os processos disciplinares e administrativos movidos em face de profissionais de segurança pública para identificar vulnerabilidades dos treinamentos e inadequações na gestão de recursos humanos.
52) Aprofundar e sistematizar os conhecimentos sobre diagnose e prevenção de doenças ocupacionais entre profissionais de segurança pública.
53) Identificar locais com condições de trabalho especialmente perigosas ou insalubres, visando à prevenção e redução de danos e de riscos à vida e à saúde dos profissionais de segurança pública.
54) Estimular parcerias entre universidades e instituições de segurança pública para diagnóstico e elaboração de projetos voltados à melhoria das condições de trabalho dos profissionais de segurança pública.
55) Realizar estudos e pesquisas com a participação de profissionais de segurança pública sobre suas condições de trabalho e a eficácia dos programas e serviços a eles disponibilizados por suas instituições.

ESTRUTURAS E EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS
56) Constituir núcleos, divisões e unidades especializadas em Direitos Humanos nas academias e na estrutura regular das instituições de segurança pública, incluindo entre suas tarefas a elaboração de livros, cartilhas e outras publicações que divulguem dados e conhecimentos sobre o tema.
57) Promover a multiplicação de cursos avançados de Direitos Humanos nas instituições, que contemplem o ensino de matérias práticas e teóricas e adotem o Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos como referência.
58) Atualizar permanentemente o ensino de Direitos Humanos nas academias, reforçando nos cursos a compreensão de que os profissionais de segurança pública também são titulares de Direitos Humanos, devem agir como defensores e promotores desses direitos e precisam ser vistos desta forma pela comunidade.
59) Direcionar as atividades de formação no sentido de consolidar a compreensão de que a atuação do profissional de segurança pública orientada por padrões internacionais de respeito aos Direitos Humanos não dificulta, nem enfraquece a atividade das instituições de segurança pública, mas confere-lhes credibilidade, respeito social e eficiência superior.

VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL
60) Contribuir para a implementação de planos voltados à valorização profissional e social dos profissionais de segurança pública, assegurado o respeito a critérios básicos de dignidade salarial.
61) Multiplicar iniciativas para promoção da saúde e da qualidade de vida dos profissionais de segurança pública.
62) Apoiar o desenvolvimento, a regulamentação e o aperfeiçoamento dos programas de atenção biopsicossocial já existentes.
63) Profissionalizar a gestão das instituições de segurança pública, fortalecendo uma cultura gerencial enfocada na necessidade de elaborar diagnósticos, planejar, definir metas explícitas e monitorar seu cumprimento.
64) Ampliar a formação técnica específica para gestores da área de segurança pública.
65) Veicular campanhas de valorização profissional voltadas ao fortalecimento da imagem institucional dos profissionais de segurança pública.
66) Definir e monitorar indicadores de satisfação e de realização profissional dos profissionais de segurança pública.
67) Estimular a participação dos profissionais de segurança pública na elaboração de todas as políticas e programas que os envolvam.
SEDH/MJ DOU
Comento: Para alguns esta Portaria não significará nada, porque a ignorância não lhes permitirão enchergar que não pode existir escalas abusivas, principalmente o desrespeito aos direitos humanos. Não dará mais para reclamar, só será humilhado e escravizado quem for como um elefante: forte, grande, mas não sabe a força que tem.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

http://www.jornalpovo.com/paginas/policia/policia.htm

          O endereço acima traz uma reportagem sobre protesto de bombeiros e policiais do Rio de Janeiro realizado ontem, em frente ao Copacabana Palace. O manifesto foi para divulgar para a população o contraste entre o salário pago aos militares do Estado que estarão em regime de escalas extras e os milionários cachês pagos aos artistas por "meia hora de show". Vale à pena conferir.

FELIZ NATAL.

          É com o coração repleto de alegria que agradeço a Deus por ter me concedido mais um ano de vida. Agradeço também a oportunidade de por mais um ano ter convivido com homens honrados e cumpridores de suas missões, seja em terra, ar ou mar.
          Neste momento em que comemoramos o nascimento de Jesus é importante pararmos para refletir e fazer desse momento um recomeço e uma reflexão para que possamos ter um futuro melhor.
          Nada pode nos deixar triste nesta data maravilhosa em que temos que buscar o exemplo de Jesus que mesmo sofrendo no Calvário jamais perdeu a fé no seu Pai. Força sempre companheiros.
          Quero desejar a todos os leitores do Blog um feliz Natal, em especial aos seguidores deste canal de comunicação e aos companheiros do serviço de prevenção e combate à dengue (foto). Não posso me esquecer dos companheiros da PEC 300, os verdadeiros indomáveis leões, que vêm dando uma demonstração de coragem e perseverança. Sucesso sempre e que Deus os abençoe a nós todos.
            

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

POLÍCIA MILITAR E CORPO DE BOMBEIROS MILITAR: DESCONTENTAMENTO DA TROPA.

Penso que por dever de ofício devo manifestar publicamente que em conformidade com tudo o que tenho ouvido e lido, o descontentamento das tropas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros está aumentando bastante, o que é muito ruim.
A tática de espalhar gratificações para pequenos grupos, prejudicando o todo, tanto na PMERJ, quanto no CBMERJ, está gerando uma série de distorções salariais, subvertendo a hierarquia, o que poderá comprometer a disciplina.
Soldados ganham mais que Sargentos, algo inconcebível.
Soldados ganham muito mais que outros Soldados, como ocorre entre os do BOPE e os das demais Organizações Policiais Militares, situação também inaceitável.
Tenentes médicos do CBMERJ ganham mais que os Coronéis do CBMERJ que comandam as suas Unidades, o subordinado ganha mais que o Comandante, algo completamente impensável.
Essas situações e outras estão ocorrendo há muito tempo, mas a situação se agravou ainda mais neste final de ano.
Primeiro, o governo Sérgio Cabral resolveu não gratificar os Bombeiros Militares e todos eles creditam essa ação como uma forma de retaliação pelo fato dos Bombeiros terem vaiado o governador em uma solenidade no Maracanãzinho.
Os Policiais Militares foram agraciados com a gratificação, porém os que não estão aptos, embora tenham trabalhado, inclusive com férias e licenças interrompidas, segundo relatos que ouvi, não receberam os R$ 500,00.
O fato da PEC 300 não ter sido votada constitui outro fator de sério descontentamento.
Sinceramente, considero esse descontentamento das tropas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros muito perigoso.
É hora de falar com a tropa, dar explicações e organizar os vencimentos dos PMs e dos BMs, acabando com todas essas gratificações e criando subsídios, igualando todos os vencimentos, em conformidade com as graduações e os postos, garantindo os direitos dos ativos, dos inativos e das pensionistas.
É tempo de agir!
Fonte: http://celprpaul.blogspot.com/
Comento: O problema todo é que a maioria da tropa está satisfeita com o que aí está. Presenciei companheiros dizendo que votariam na continuidade porque estava bom, me senti impotente diante de uma declaração dessas. Agora presenciei os mesmos entrando em depressão por causa do não recebimento de uma gratificação de R$ 500,00. Tudo isso está acontecendo, mas os mesmos erros serão cometidos nas eleições de 2014.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

PARABÉNS AOS DEPUTADOS.

          Hoje é dia de festa, os deputados que nós elegemos e reelegemos aumentaram seus salários para R$ 27 mil reais. Esse aumento mais que merecido vai aumentar os gastos em cerca de 2 bilhões, uma "merreca" para um país que tem tanto dinheiro.
          Fiquei muito feliz com essa notícia porque o deputado mais votado na última eleição, o Tiririca, já vai chegar sem saber onde gastar tanto dinheiro. Que beleza!
          Enquanto isso, A PEC 300 FICA ENGAVETADA.
          A realidade é que quem hoje está no poder se vinga pelo sofrimento que tiveram no passado. Eles lutaram para chegar onde chegaram, muitas vezes com armas em punho e matando quem apenas cumpria ordens superiores. Penso que temos que aprender com eles a reconquistar o nosso espaço, já que os papéis se inverteram. Hoje os sacaneados somos nós, os militares. Não os que estão muito bem com cargos comissionados, mas a grande massa que sempre vai para a linha de frente.
         É hora de começarmos a refletir e lembrar sempre que o mundo gira e chegou a vez deles, espero que na próxima volta não os deixemos tomar a dianteira. 
          Salve o Brasil, Salve os militares que em qualquer missão sempre mostram que não são melhores que ninguém, mas que são apenas diferentes.       

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

PEC 300, TEMOS QUE ACREDITAR!

Vários companheiros de luta pela aprovação da PEC 300 se reuniram ontem e hoje para lutar pela aprovação da PEC. Enquanto existirem homens honrados e destemidos haverá caminho a ser seguido e uma luz no fim do túnel.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

"AMIGOS" DO PREFEITO ZÉ RENATO DESINTERDITAM A RUA B NO JARDIM CENTRAL.

           No dia de ontem houve um deslizamento de terra no Jardim Central. Após tal fato, o Naldo França entrou em contato com a prefeitura, a fim de solicitar a desinterdição da rua B, porém, como quase tudo que se pede para o bairro, há sempre uma dose de má vontade política, claro que não fui atendido.
          Como os moradores não podem, em hipótese alguma, ficar sem a rua B, os "amigos" do prefeito decidiram fazer o serviço. Imaginem se alguém necessitasse de um socorro, provavelmente iria ficar entregue à sorte.

          Após uma hora e meia de serviço a rua foi parcialmente desinterditada, sendo o trânsito liberado apenas para a passagem de um veículo por vez.
          Depois dessa força dos "amigos" do prefeito, espero que ele reconheça o esforço e passe a olhar com mais carinho para o nosso bairro, pois acredito que o coração dele não é de pedra.

            

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

SERIA CÔMICO SE NÃO FOSSE TRÁGICO

          Hoje assistindo à TV Câmara pensei estar num canal de humor, mal humor. O líder do Governo na Câmara, Sr Cândido Vaccarezza teve a coragem de propor a criação de uma comissão para debeter melhor a PEC 300, Muitos riram. Nesse momento pensei estar no canal errado, mas não, era a TV Câmara mesmo. 
          Apesar da minha ignorância, sei que a PEC 300 deve ser votada em 2º turno. Criar comissão, só pode ser coisa de quem ignora a nossa classe e pensa que nunca dependerá dela.
          Apesar do PT fazer questão de demonstrar que não tem interesse na votação da PEC 300, muitos deputados honrados clamam pela sua votação. 
          Temos que fazer a nossa parte e ver até onde vai essa peleja. haja saco.
PEC 300 vive momentos derradeiros

          Conforme notícia da Rádio Câmara, a PEC 300 foi ontem o principal entrave de um "acordão" entre quatro paredes para se votar matérias de interesse do governo Lula (projetos relacionados ao pré-sal e à Lei Kandir, que trata da cobrança de ICMS pelos estados).
          Mesmo com as galerias vazias pois não houve nova peregrinação dos nossos bombeiros e policiais, os parlamentares que apoiam a PEC 300 conseguiram, aos trancos e barrancos, segurar a sessão de ontem, praticamente no braço.
          Os líderes vieram determinados a votar essas duas matérias em sessão extraordinária. Mas os parlamentares que defendem a aprovação da PEC 300 bateram o pé e mesmo sendo minoria e sem voz nas lideranças partidárias (exceção ao deputado Arnaldo Faria de Sá e Miro Teixeira) não aceitaram votar nenhum outro assunto em sessão extraordinária antes do piso dos policiais.
           O deputado Paes de Lira, do PTC de São Paulo, chega a falar em "rebelião":
          'Pode haver, de fato, uma rebelião em Plenário, a tal ponto que os deputados, no seu conjunto, impeçam os desígnios de um Colégio de Líderes que deixou de representar a vontade dos seus liderados.'
          Empurrando mais uma vez com a barriga, "o presidente em exercício da Câmara, Marco Maia, propôs aos líderes uma comissão especial para discutir o salário dos policiais juntamente com todos os aspectos da segurança pública, como o patrulhamento de fronteiras e o aumento do efetivo policial". Está literalmente viajando na maionese. O xis da questão é se votar algo que já foi extenuamente debatido: o piso salarial nacional dos bombeiros e policiais.
          Percebe-se uma grande cooptação no ar. Quem era a favor de greve nacional e a favor da PEC 300, agora muda o discurso. Veja o que falou o "líder do PDT, Paulo Pereira da Silva, que até semana passada não abria mão de votar agora a PEC 300":
            'Eu estou sugerindo que o Arnaldo Faria de Sá - até para dar uma certa garantia para a polícia de que vai andar - que seja o presidente da comissão especial que na próxima legislatura começasse a discutir com um entendimento maior a questão da segurança pública, que envolvesse também o salário da polícia, que é o que estamos discutindo aqui. Então, se o Arnaldo topar ser presidente, nós poderíamos topar.'
           Arnaldo Faria de Sá, autor da PEC 300, descartou essa proposta acintosa:
'Acho que o calor do que aconteceu no Rio de Janeiro obriga a gente a discutir a PEC 300 agora. Até porque essa comissão não tem definida uma data de votação. Uma comissão, para enrolar, o risco é muito grande. Se não tiver uma data de criação eu não aceito criação de comissão nenhuma.'
           Outro grande baluarte da PEC 300, o deputado Miro Teixeira disse que estão quebrando a espinha dorsal da Câmara ao se protelar a votação do piso e conclamou a todos os parlamentares a não se submeterem às decisões dos líderes partidários, convocando-os a uma obstrução às votações na casa, inclusive na sessão ordinária: "Sr. Presidente, por mais candente que seja o apelo, por maior que seja o mérito de qualquer matéria, há pessoas que não vão se intimidar, pelo mérito, e renunciar ao direito de votarem em segundo turno a PEC 300.
          Já estamos acostumados, no Parlamento, a votar temas que têm grande apelo social para renunciarmos a certas posições que são, nesse caso, de defesa do próprio Parlamento, para não parecer que antes das eleições temos uma postura e depois das eleições, outra.
          Então, vamos ver como fica esse painel da sessão ordinária para a sessão extraordinária. Individualmente, pouco posso fazer, mas farei."
          Tomando as dores do líder do governo Cândido Vaccarezza, "Genoíno disse que o Poder Executivo não aceita a votação da PEC 300".
          Insensível, O presidente em exercício da Câmara, Marco Maia, lamentou a atitude dos parlamentares a favor da PEC 300:
          'Os governadores vieram aqui e fizeram um apelo. Nós temos logo ali na frente a posse dos novos governadores, que precisam se dar conta do que estão recebendo dos governadores atuais para depois se pensar em matérias que coloquem novas despesas para os governadores. Então, vou continuar insistindo, dialogando e buscando entre todos os parlamentares a sensibilidade necessária para a votação de matérias que são importantes para todo o país.'
          Como vimos, a hipocrisia tomou conta de muitos parlamentares, principalmente dos que são líderes partidários, para barrar a conclusão da PEC 300. Temos exatas três semanas para continuar insistindo na conclusão da matéria. Estamos praticamente saindo no tapa, no plenário, para forçar a inclusão da PEC 300 em sessão extraordinária. Esses pseudo líderes são insensíveis aos trabalhos hercúleos dos nossos nobres bombeiros e policiais. Preferem ver somente os seus próprios interesses enquanto nossos heróis são massacrados diariamente.
          Hoje, a partir de 16 horas há mais uma batalha. Cobrem de seus deputados a obstrução dos trabalhos até que se coloque em sessão extraordinária a PEC 300. Liguem para eles, mandem e-mail, mandem mensagem por twitter. Quem não tem o perfil do twitter, passou da hora de criar. Descubram o telefone celular de cada parlamentar de seu estado e mandem torpedos ou conversem com eles, localizem suas residências e promovam encontros em suas casas ou em seus escritórios políticos.
          Estamos lutando contra o monstro chamado GOVERNO LULA, que não quer valorizar o trabalho diuturno dos que defendem a liberdade de todos os brasileiros. Se tivermos essa determinação, venceremos. No plenário, somos poucos mas estamos deixando nosso couro estendido naquele local. Façamos a nossa parte.
Fonte: blog do Dep. Cap Assumção.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

DEPUTADO MIRO TEIXEIRA, UM GLADIADOR NA LUTA PELA PEC 300.

          Hoje assistindo à TV Câmara pude presenciar o Deputado Miro Teixeira, Juntamente com Arnaldo Faria de Sá, exigindo a votação da PEC 300. Embora noticiado que vários governadores estiveram em Brasília solicitando a não votação da PEC, percebe-se que a pressão para a votação na Câmara é muito forte.
          Que estamos sendo enrolados a cada dia isso é fato, porém não podemos nos esquecer que há muita gente boa naquela casa fazendo de tudo para dar dignidade aos heróis da sociedade, inclusive entrando em obstrução para que nada seja votado antes da PEC 300.
          Este é o momento, é agora ou nunca.

domingo, 28 de novembro de 2010

BREJO SANTO - CE, MINHA CIDADE NATAL.


Fonte: br.viarural.com

É SÓ O AMOR.

Neste momento em que todo Brasil fala de guerra, encontrei um instante para postar este vídeo que fala de amor. Tenho a certeza que é o que vem faltando há anos para uma cidade que por décadas veio sendo maquiada pelas autoridades que sempre jogaram a sujeira para debaixo do tapete.
          Espero que a partir de amanhã o nosso querido Rio de Janeiro seja levado a sério e que o amor possa chegar a quem nunca o teve por parte das autoridades.
          Que a paz e a felicidade passam ser apresentadas àqueles que mais necessitam.

domingo, 21 de novembro de 2010

ZÉ DO BAIRRO TENTA AJUDAR O JARDIM CENTRAL.

 
          O Zé do Bairro da TV Rio Sul esteve no dia 18/11/2010 visitando o bairro Jardim Central em Barra Mansa-RJ e constatando o estado precário das ruas do bairro. 
          Os moradores aproveitaram a oportunidade para denunciar o descaso com a comunidade por parte da Prefeitura que não vem atendendo às necessidades já reivindicadas por várias oportunidades.
          Estamos aguardando ansiosos a reportagem que será exibida no dia 23/11/2010 às 12h:15m, terça-feira, para ouvirmos quais serão os argumentos apresentados por parte da Prefeitura. Fiquem ligados!
          Esperamos que no dia 23 nos seja dada uma boa notícia, já que a verba para a obra de asfaltamento do rua A já está
disponível na Caixa Econômica Federal há bastante tempo.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A DEPUTADA ANDREIA ZITO CONTINUA NA LUTA.

PEC-00300/2008 - Altera a redação do § 9º do art. 144 da Constituição Federal.

- 10/11/2010 Apresentação do Requerimento de Inclusão na Ordem do Dia n. 7435/2010, pela Deputada Andreia Zito (PSDB-RJ), que: "Requer a inclusão na Ordem do Dia da PEC 300/2008".

Comentário: apesar de muitos não acreditarem que merecem um salário condizente com a profissão, a Deputada e outros continuam firmes no apoio às classes trabalhadoras da Segurança Pública. O sonho ainda não acabou.

sábado, 13 de novembro de 2010

Aposentadoria Especial 25 anos - Dr Jeferson Camillo

Vale à pena conferir as informações do especialista.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

VAMOS NOS PREPARAR PARA A VOLTA DA CPMF.

          A volta da CPMF parece que será o cartão de apresentação da presidenta Dilma. Não vejo como este imposto não voltar porque a oposição será insignificante e o governo aprovará o que quizer. O problema não é a imposição desse imposto que eu não gostaria de pagar, o grande problema é que na campanha foi pregado exatamente o contrário, como desoneração do contracheque. Só quero ver. Essa dívida vou cobrar dos companheiros que acreditaram na candidata e agora presidenta, porque eles fizeram questão de declarar o voto naquela senhora cristã. Agora, dizem que o cristão não mente e eu só quero ver no que vai dar isso.
          Quero cobrar também dos evangélicos que conheço e me declararam seus votos, porque eles serão corresponsáveis pelo aumento dos impostos, pela não votação da PEC 300, pela distribuição de cargos para a companheirada e para seus líderes evangélicos.
           

A PEC 300 ESTÁ CADA VEZ MAIS DISTANTE.

          Caros companheiros, ontem assistindo à TV Senado pude ver o Deputado Arnaldo Faria de Sá denunciar que a presidenta Dilma pediu para a base governista não votar a PEC 300. Depois vi outros Deputados solicitarem ao Deputado Michel Temer, presidente da Casa, a inclusão da PEC 300 na Ordem do dia, porém ele se quer respondeu aos Deputados. Num outro momento, o Deputado Miro Teixeira perguntou ao 1º vice-presidente da casa sobre a votação da PEC 300, vindo este a informar que esse assunto seria decidido na 1ª reunião de líderes.
          Assim sendo companheiros, estamos vendo que embora vários Deputados da base do governo estejam solicitando a votação da PEC 300, a batalha será árdua, já que o Deputado Arnaldo Faria de Sá denunciou a intenção da presidenta, que na verdade é quem vai mandar no congresso. Lamentável.
         

sábado, 6 de novembro de 2010

PEC 300: Lula quer impedir nossa dignidade

          Uma notícia da Agência Estado divulgada pelo site R7 informou que o governo pretende impedir aprovação da PEC 300, pois vai gerar gastos para o país. “A ordem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é para que a base aliada impeça o aumento de gastos públicos às vésperas da posse da presidente eleita, Dilma Rousseff (...). O pacote de bondades inclui propostas como a que fixa um piso nacional para policiais militares”.
          Só refrescando a memória de Lula: remunerar trabalhadores de segurança pública com justiça não é gasto é investimento. É um beneficio estendido aos 190 milhões de brasileiros. A toda a sociedade brasileira.
          De qualquer forma, já sabíamos que a intenção declarada do governo é de procrastinar o sofrimento dos Bombeiros e Policias brasileiros. E não quer ouvir falar das condições precárias em que trabalham para defender a sociedade. Ou seja: ele quer que se dane quem defende a sociedade brasileira.
          O governo não se importa com a situação dos trabalhadores de segurança pública. Não dá a mínima se esses guerreiros conseguem sustentar a família com dignidade. Se quando eles saem para combater a criminalidade seus filhos ficam em segurança ou tem o que comer. A angustia desses trabalhadores o governo não quer conhecer.
          Então, vamos ter que nos fazer ouvir por bem ou por mal. Dessa vez o grito de socorro vai ter que sair ainda mais alto. Temos até o final do ano. O tempo urge.
          Vale lembrar que a primeira vitória foi conquistada com esforço e determinação. Marchas pelo país. Grandes manifestações em Brasília. Militantes empenhados abordavam os deputados nos gabinetes e nos corredores da Câmara. Ocuparam cada espaço da galeria do plenário.
          Aqueles que não puderam estar na capital brasileira enviaram e-mails, twitteres, mensagens para os parlamentares, ligaram no 0800 da Câmara e para os próprios deputados.
          Foi com muita luta e perseverança dos trabalhadores de segurança pública que a PEC 300 foi aprovada em primeiro turno.
          Agora falta pouco. Passado o segundo turno na Câmara o Senado concordou em votar o piso da categoria num único dia.
          A luta é árdua. Eu sei. Entretanto, trabalhar em troca de um salário de miséria e em condições precárias não dá. Já suportamos demais. Está mais do que provado: só vamos ter a vitória completa se lutarmos com afinco por ela.
          A vitória tem que ser nossa. Não podemos esmorecer. Força! Ainda dá tempo da PEC 300 ser aprovada na 53º Legislatura.
          Para isso, vamos recomeçar o trabalho de convencimento dos deputados, principalmente, do presidente da Casa, Michel Temer. E dessa vez com mais intensidade. Vamos cobrar. Temos esse direito.
          Não economizem as redes sociais e todas as ferramentas que a internet disponibiliza. Congestione o 0800 da Câmara. Associações de todo o Brasil organizem novas mobilizações em Brasília. Ocupem os espaços dessa Casa que é do povo.
          É hora de sacudir a poeira. Mostrar que estamos vivos e dispostos a lutar por justiça e dignidade. Juntos nós podemos. Afinal, somos homens e mulheres acostumados com o combate e a enfrentar bandido. Vamos levantar a cabeça.
          Lembrem-se: A primeira votação da PEC 300 só aconteceu depois que mais de 7 mil bombeiros e policiais pararam Brasília por mais de 10 horas. Temos que fazer isso de novo. A conclusão da matéria não vai cair no nosso colo. Vai ter que ser batalhado. Conversas e bate-papo na internet tem a sua penetração e alcance mas o que resolve agora é mão na massa: sangue, suor e lágrimas precisam ser derramados. Temos que parar novamente o coração político do Brasil para sermos atendidos.

E mais: saibam que podem contar comigo!

Fonte: Blog da Capitão Assumção Deputado Federal.
 
COMENTO:
          Senhoras e senhores, certamente se fôssemos nós os torturados no passado e hoje fôssemos os donos do país, provavelmente iríamos fazer exatamente o que eles estão fazendo conosco. 
          O momento é daqueles que sofreram no passado, agora é a hora de dar o troco. 
           A MAIOR DECEPÇÃO da minha vida foi ouvir companheiros dizendo que estão com eles. Esses "amigos" se esqueceram que irão para a reserva ou poderão cair doentes, ficando exatamente na mesma situação dos inativos.
          Assim sendo, não sei se ainda vale à pena lutar em prol de quem nos traiu, pois eles são a grande maioria.
          Desgraça pouca, ainda vem esse filme Tropa de Elite, mostrar uma provável realidade da segurança pública do país, batendo todos os recordes de bilheteria, enterrando de vez a moral daqueles que usam farda. O mundo mudou, parece que quanto pior melhor. Uma pena.
          

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM CENTRAL APROVA O NOVO ESTATUTO.

 
          Com a presença do seu presidente, da diretoria, da Drª Penha, e alguns moradores, o novo Estatuto da Associação de Moradores do Jardim Central foi aprovado por unanimidade.
          Devemos destacar o grande esforço do atual presidente, José Maria,  no sentido de legalizar toda documentação pertinente à Associação, uma vez que se encontrava totalmente desatualizada.
          Apesar de ter sido convidada pelo presidente para participar da aprovação do novo Estatuto, a grande maioria da comunidade preferiu ficar inerte e deixar que decidíssemos por ela. Esse fato nos despertou ainda mais para o fato de que necessitamos urgentemente conscientizar a comunidade da importância de sua participação nas decisões que venham beneficiar a todos.
          Com a aprovação do novo Estatuto e a legalização de toda documentação, poderemos pleitear em parceria com o Ministério Público, as obras que precisam ser feitas no nosso bairro.
          Agindo assim, estaremos exercendo nossa cidadania e se ainda houver justiça nesse país conseguiremos nossos objetivos.

VAMOS PARA 12 ANOS DE PT E PROVAVELMENTE CHEGAREMOS LOGO AOS 16.

          Finalmente sabemos quem governará o país pelos próximos 4 anos. Numa campanha com muitas acusações, descobrimos que na verdade, a maioria do povo não está nem aí. O negócio é comida na mesa e quanto aos escândalos dos 8 anos passados parece que se quer foi aqui no Brasil.
          Para nós que fomos às urnas, só nos resta desejar boa sorte à candidata eleita e que ela consiga fechar as portas da corrupção, além de aumentar os programas assistencialistas fazendo com que cheguem em todos os cantos do país, porque a miséria é explicita por onde quer que passemos. 
          Acredito que o povo espera que Dilma seja uma mãe e faça um bom governo. Caso ela olhe também para os lados, tenho a certeza que identificará os possíveis assaltantes dos cofres públicos que possam se aproximar.
          Boa sorte à Dilma, pois já na nomeação de seus ministros poderemos ter uma ideia do que será o futuro do Brasil.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

TRÂNSITO EM MEIA PISTA NO BAIRRO SÃO JUDAS TADEU, BARRA MANSA - RJ.

          A rua São Sebastião, no bairro São Judas Tadeu, em frente à Igreja Assembleia de Deus, está com o trânsito em meia pista. Segundo moradores uma enchorrada levou parte da rua e só agora o poder público está viabilizando a recuperação da principal via do bairro.
          É de suma importância a aceleração dessa obra, já que é chegado o tempo de fortes chuvas na região. caso a conclusão da obra não aconteça rapidamente, há o risco de todo trabalho realizado ser perdido, porque no local pode ocorrer enchentes devido a grande quantidade de água que desce dos morros.
          

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

OS MILITARES DA PARAÍBA FAZEM POR MERECER.

Policiais acompanham votação da PEC 300 na Assembleia Legislativa da Paraíba
Fonte: Redação ClickPB
          Policiais militares, civis, bombeiros e agentes penitenciários esperam, nesta quarta-feira (27), pela votação de aprovação do projeto de lei, conhecido como PEC 300.
          O procurador da Assembleia Legislativa da Paraíba, Cecílio Ramalho, já respondeu ao questionamento do presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o deputado Zenóbio Toscano (PSDB).
          De acordo com o procurador não existe a necessidade de verificar se houve divergência na assinatura do governador licenciado José Maranhão (PMDB) por que o autor do projeto, no caso, o governador, não reclamou. "Se o governador afirma sua assinatura, não seria a Assembléia que iria questionar a legitimidade da assinatura", declarou o procurador em entrevista ao jornal Correio da Manhã, da 98 FM, nesta quarta-feira. Com isso, o projeto deve tramitar normalmente na Casa de Epitácio Pessoa.
          Na tarde desta terça-feira, 26, o colegiado de líderes da Assembleia Legislativa se reuniu em um dos hotéis da capital para discutir o andamento da “PEC 300” no Poder Legislativo. Hoje, o projeto deve seguir com o encaminhamento normal, com a votação a partir das 9h.
          O projeto de Lei foi encaminhado pelo governo do estado à Assembleia Legislativa, concedendo reajuste a policiais militares, civis, bombeiros e agentes penitenciários da ativa e inativos.
Copiado do Blog do Cap Assumção.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

ELES CONSEGUIRAM, NÓS PODEMOS CONSEGUIR.

PEC 64 (subsídio) do Paraná foi aprovada

          Aprovada na quarta-feira (dia 20 de outubro de 2010) pela Assembléia Legislativa do Estado do Paraná, a PEC 64/09 – proposta que torna subsídio a remuneração dos policiais e bombeiros militares daquela unidade da Federação – deverá ser promulgada pela Casa Legislativa nesta semana.
          Após a promulgação, o Governo do Estado terá prazo de 180 dias para a execução da medida. Os valores poderão ser, no mínimo, equivalentes ao da PEC 300 (proposta que já foi aprovada em primeiro turno pela Câmara dos Deputados).
          No entanto, apesar de ser uma expressiva vitória dos trabalhadores da Segurança Pública do Paraná, ainda não é possível estabelecer precisamente quais serão os valores a ser pagos aos trabalhadores.
Tudo porque essa proposta de emenda à Constituição do Paraná terá como referência a maior remuneração do coronel em junho de 1998 (época em que foi editada a Emenda Constitucional nº 19/98), além das outras vantagens inerentes ao cargo.
          A partir dessa remuneração do coronel, haverá um escalonamento de reajuste salarial decrescente até chegar ao soldado.
          “A categoria passa a ser carreira do estado, sendo realizado o aumento salarial sempre pela maior remuneração, refletindo para as demais classes da Polícia Militar. O escalonamento é uma consequência da estruturação vertical ou militar”, explica o site da Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares Ativos, Inativos e Pensionistas (AMAI).
          Ainda segundo a associação, a PEC 64 não vai alterar a forma de aposentadoria do policial militar paranaense e inclui os policiais e bombeiros militares da ativa, da reserva e também os pensionistas.

Fonte: Blog do Capitão Assumção, Deputado Federal 

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

FINALMENTE UMA LUZ PARA O BAIRRO JARDIM CENTRAL.

          No dia de ontem José Carlos e José Pires, moradores do Bairro Jardim Central, em Barra Mansa - RJ, perceberam que a construção de um muro de contenção, na entrada do bairro pela Vila Nova estava com o seu alinhamento totalmente fora do mínimo aceitável. Pelo alinhamento proposto pelo engenheiro responsável pela obra, a comunidade ficaria muito prejudicada, haja vista que a rua ficaria com menos de 4 metros de largura, portanto , fora dos 6 metros regulamentares. Inacreditável que um engenheiro fosse capaz disso, mas é a realidade.
          Diante de tal fato, fui procurado pelo José Carlos e juntos fomos até o local. Constatado o absurdo, fomos imediatamente à presença do Sr Célio, Diretor da SUSESP que nos atendeu. Expomos o fato a ele durante um bom período da tarde, inclusive propondo uma parceria para financiar parte da obra.
          Depois de uma boa conversa, o Diretor da SUSESP, assumiu conosco o compromisso de falar com o Prefeito sobre o caso e nos dar o retorno no dia de hoje. Às 15h:00m liguei para o Sr Célio e finalmente veio a boa notícia: O Prefeito havia dito para o Sr Célio atender a nossa reivindicação.
          A comunidade está tão desconfiada com as promessas que prefiro ver o início da obra para agradecer ao Prefeito e ao Sr Célio, Diretor da SUSESP.
          Deus nos ajude nessa obra e em outras que precisamos.
            

BABA BABY, O SALÁRIO NA PARAÍBA VAI SER ASSIM:

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

O DEBATE NA REDE TV

          Olá amigos, ontem tive a oportunidade de assistir ao debate na Rede TV e pude assistir uma Dilma nervosa, agressiva e muitas vezes com a voz querendo falhar. Do outro lado vi o Serra equilibrado e respondendo com tranquilidade às perguntas de sua adversária.
          Aconteça o que acontecer na abertura das urnas, ontem pude ver que o candidato mais preparado para  governar o meu país é José Serra porque a cadeira do presidente é quente e ontem Dilma mostrou que não vai suportar às pressões. Além disso, os escândalos não param, nem em plena campanha. Na verdade esses escândalos de menbros do PT "já deram no saco" e é passada a hora de mudar. Chega de mensalões e falcatruas diversas. Esse não é o país que sonhei para educar meu filho, o país onde as pessoas que são honestas estão chegando ao ponto de terem vergonha de sê-las.
          Não sei se os amigos já perceberam que tudo de ruim que esse governo faz ele quer justificar dizendo que FHC também fez ou fez pior. Se todos nós fôssemos justificar os nossos erros com erros dos outros esse mundo estaria perdido, haja vista que nesse país não posso afirmar que todos somos inocentes.
          É inaceitável que esse governo queira se comparar com governos passados. O momento é outro e graças ao Plano Real o Brasil conseguiu evoluir.
          O importante é que não podemos perpetuar ninguém no poder, é hora de mudar. Já que lamentavelmente o povo não quis Marina temos que eleger no que está mais preparado. A decisão está em suas mãos.
         

sábado, 16 de outubro de 2010

POR FAVOR, LEIAM A ENTREVISTA E TIREM SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES.

JUSBRASIL NOTÍCIAS
Clipping - Revista Veja - A corte dos padrinhos
Extraído de: Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo - 05 de Outubro de 2010

          A nova corregedora do Conselho Nacional de Justiça diz que é comum a troca de favores entre magistrados e políticos.
A ministra Eliana Calmon é conhecida no mundo jurídico por chamar as coisas pelo que são. Há onze anos no Superior Tribunal de Justiça (STJ), Eliana já se envolveu em brigas ferozes com colegas - a mais recente delas com então presidente César Asfor Rocha. Recém-empossada no cargo de corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a ministra passa a deter, pelos próximos dois anos, a missão de fiscalizar o desempenho de juizes de todo país. A tarefa será árdua. Criado oficialmente em 2004, o CNJ nasceu sob críticas dos juizes, que rejeitavam idéia de ser submetidos a um órgão de controle externo. Nos últimos dois anos, o conselho abriu mais de 100 processos para investigar a magistratura e afastou 34.
          Em entrevista a VEJA, Eliana Calmon mostra o porquê de sua fama. Ela diz que o Judiciário está contaminado pela politicagem miúda o que faz com que juízes produzam decisões sob medida para atender aos interesses dos políticos, que, por sua são os patrocinadores das indicações dos ministros.
Por que nos últimos anos pipocaram tantas denúncias de corrupção no Judiciário?
          Durante anos, ninguém tomou conta dos juizes, pouco se fiscalizou, corrupção começa embaixo. Não é incomum um desembargador corrupto usar o juiz de primeira instância como escudo para suas ações. Ele telefona para o juiz e lhe pede uma liminar, um habeas corpus ou uma sentença. Os juizes que se sujeitam a isso são candidatos naturais a futuras promoções. Os que se negam a fazer esse tipo de coisa, os corretos, ficam onde estão.
          A senhora quer dizer que a ascensão funcional na magistratura depende desss troca de favores?
O ideal é que as promoções acontecessem por mérito. Hoje é a política que define o preenchimento de vagas nos tribunais superiores, por exemplo. Os piores magistrados terminam sendo os mais louvados. O ignorante, o despreparado, não cria problema com ninguém porque sabe que num embate ele levará a pior. Esse chegará ao topo do Judiciário.
          Esse problema atinge também os tribunais superiores, onde as nomeações são feitas pelo presidente da República?
          Estamos falando de outra questão muito séria. É como o braço político se infiltra no Poder Judiciário. Recentemente, para atender a um pedido político, o STJ chegou à conclusão de que denúncia anônima não pode ser considerada pelo tribunal.
          A tese que a senhora critica foi usada pelo ministro César Asfor Rocha para trancar a Operação Castelo de Areia, que investigou pagamentos da empreiteira Camargo Corrêa a vários políticos.
          É uma tese equivocada, que serve muito bem a interesses políticos. O STJ chegou à conclusão de que denúncia anônima não pode ser considerada pelo tribunal. De fato, uma simples carta apócrifa não deve ser considerada. Mas, se a Polícia Federal recebe a denúncia, investiga e vê que é verdadeira, e a investigação chega ao tribunal com todas as provas, você vai desconsiderar? Tem cabimento isso? Não tem. A denúncia anônima só vale quando o denunciado é um traficante? Há uma mistura e uma intimidade indecente com o poder.
          Existe essa relação de subserviência da Justiça ao mundo da política?
           Para ascender na carreira, o juiz precisa dos políticos.
          Nos tribunais superiores, o critério é única e exclusivamente político.
          Mas a senhora, como todos os demais ministros, chegou ao STJ por meio desse mecanismo.
Certa vez me perguntaram se eu tinha padrinhos políticos. Eu disse: "Claro, se não tivesse, não estaria aqui". Eu sou fruto de um sistema. Para entrar num tribunal como o STJ, seu nome tem de primeiro passar pelo crivo dos ministros, depois do presidente da República e ainda do Senado. O ministro escolhido sai devendo a todo mundo.
          No caso da senhora, alguém já tentou cobrar a fatura depois?
          Nunca. Eles têm medo desse meu jeito. Eu não sou a única rebelde nesse sistema, mas sou uma rebelde que fala. Colegas que, quando chegam para montar o gabinete, não têm o direito de escolher um assessor sequer, porque já está tudo preenchido por indicacão política.
          Há um assunto tabu na Justiça que é a atuação de advogados que também são filhos ou parentes de ministros. Como a senhora observa essa prática?
          Infelizmente, é uma realidade, que inclusive já denunciei no STJ. Mas a gente sabe que continua e não tem regra para coibir. É um problema muito sério. Eles vendem a imagem dos ministros. Dizem que têm trânsito na corte e exibem isso a seus clientes.
           E como resolver esse problema?
          Não há lei que resolva isso. É falta de caráter. Esses filhos de ministros tinham de ter estofo moral para saber disso. Normalmente, eles nem sequer fazem uma sustentação oral no tribunal. De modo geral, eles não botam procuração nos autos, não escrevem. Na hora do julgamento, aparecem para entregar memoriais que eles nem sequer escreveram. Quase sempre é só lobby.
          Como corregedora, o que a senhora pretende fazer?
          Nós, magistrados, temos tendência a ficar prepotentes e vaidosos. Isso faz com que o juiz se ache um super-homem decidindo a vida alheia. Nossa roupa tem renda, botão, cinturão, fivela, uma mangona, uma camisa por dentro com gola de ponta virada. Não pode. Essas togas, essas vestes talares, essa prática de entrar em fila indiana, tudo isso faz com que a gente fique cada vez mais inflado. Precisamos ter cuidado para ter práticas de humildade dentro do Judiciário. É preciso acabar com essa doença que é a "juizite".
Autor: Assessoria de Imprensa

Comento em uma frase.
ASSIM É O MEU BRASIL, BRASILEIRO.

A PEC 300 CONTINUA VIVA, MUITO VIVA.

          Apesar de muitos companheiros não terem a menor fé de que a PEC 300 seguirá seu rumo natural até que a Lei Complementar seja aprovada, fato que não os deixam sair da inércia, as últimas notícias são animadoras. 
          Ontem, em entrevista à TV Senado, o Senador Paulo Paim, do Rio Grande do Sul e defensor das classes trabalhadoras, deu sinais de que a aprovação da PEC 300 é uma questão de tempo, pouco tempo, Já que ele afirmou que ela será aprovada no Senado Federal. Desde já agradeço a entrevista motivadora do Senador. 
          Pertenço a uma corporação com 154 anos de existência e não encontrei nenhum registro de uma união tão forte em busca de melhores condições salariais e de trabalho, exterminando de vez os resquícios da ditadura que perpetua na cabeça de pessoas que não conseguem evoluir.
          A pequena parcela de companheiros que conseguiram abrir suas mentes e que acreditam que ficar calado não melhora nada, muitas vezes se perguntam se vale à pena lutar tanto em prol de outros que não estão nem aí para o futuro, ou seja, lutar por aqueles que querem que o mundo se acabe em barranco para morrerem escorados.
          Outro dia, ouvi um companheiro falar que foi comprado por gratificações, só me restou sentir pena, nada mais.
          Apesar dos dissabores, prefiro ficar com o Senador Paulo Paim, pois como ele acredito que o homem tem direito a oferecer do bom e do melhor para a família, sem necessitar dedicar a sua vida apenas ao trabalho.
          Forte abraço.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

REUNIÃO COM INDIO DA COSTA, CANDIDATO A VICE-PRESIDENTE.

          Hoje, no Tijuca Tênis Clube, Policiais Militares e Bombeiros Militares deram continuidade à luta pela aprovação da PEC 300 (emenda aglutinativa 2/2010), conversando com o deputado federal Índio da Costa (DEM), candidato a vice-presidente.





          Índio da Costa votou a favor da PEC 300 na Câmara dos Deputados, portanto, ninguém mais apropriado no momento para intermediar junto a José Serra (PSDB), candidato a presidência, a pretensão dos mais de 700 mil militares estaduais do Brasil.Nós sabemos que o PT e a base governista são contra a PEC 300, o que nos leva a buscar o apoio de José Serra-Índio da Costa para a conquista da dignidade salarial. Somos mais de 2 milhões de votos indiretos, uma força que não pode ser ignorada.



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fotos e texto retirados do Blog do cel Paúl.

Pastor Silas Malafaia: A Verdade Sobre o 2º Turno das Eleições 2010

VEJA E TIRE SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES.

Arcebispo da PB afirma que PT tenta implantar cultura da morte no Brasil...

E AGORA JOSÉ?

terça-feira, 12 de outubro de 2010

ALGUNS COMENTÁRIOS POSTADOS.

Cândida.Natal /RN disse...


Parabéns pela iniciativa,só poderia vir de uma pessoa como você que assim como eu não pretende calar-se diante de tanta descaso,seja ele em qualquer parte do País ou do Mundo.Porque o ser humano deve exercer sua cidadania aonde estiver.
Conte sempre comigo.Um abraço! sua prima!

Naldo França disse...
Valeu prima, é por causa de pessoas como você que luto, pessoas que incentivam, e não aquelas que ficam sempre esperando cair do céu. São sempre os coitadinhos que ninguém faz nada para ajudar. Forte abraço, adoro você.

Anônimo disse...
BOA SORTE ,COMPANHEIRO, NESSA EMPREITADA DURÍSSIMA QUE VOCE TEM PELA FRENTE,POIS LUTAR CONTRA O PODER PÚBLICO E ALGO MUITO DIFÍCIL.SEMPRE QUE PUDER AJUDAR, ESTAREI DISPOSTO,PORÉM SABES QUE AINDA ME FALTA CORAGEM E CERTEZA, QUE QUALQUER ESFORÇO TRARÁ PARA MIM ALGUM TIPO DE VITÓRIA ,SATISFAÇÃO OU MESMO SENTIMENTO DE DEVER CUMPRIDO. ACHO QUE AINDA ME DECEPICIONO COM AS PESSOAS,SOU DO TIPO QUE AINDA ESPERA RECONHECIMENTO,PORÉM SEI QUE PARA DEUS "QUE A MÃO DIREITA NÃO SAIBA O QUE A MÃO ESQUERDA FAZ",OU SEJA O QUE FAZEMOS PELO PRÓXIMO E PELA COMUNIDADE DEVE SER DE CORAÇÃO SEM INTERESE,ESTOU AMADURECENDO A IDÉIA E QUEM SABE ADIANTE SABEREI QUAL É O MEU DEVER,ASSIM COMO O NOBRE COMPANHEIRO JÁ RECEBEU DE DEUS SUA MISSÃO.BOA SORTE E FELICIDADE.CABO RIBEIRO


Cândida Natal/Rn disse...

despidos de orgulho e com certeza você colherá bons resultados.Um abraço siga em frente e Deus te guarde.


Naldo França disse...

Cândida, é por causa de pessoas como você que ainda vale à pena acreditar.Beijo.

PARABÉNS AO CABO MACIEL.

          O cabo PM Alcimar Maciel Pereira, 38, é um fenômeno eleitoral amazonense.  
          Quero aqui prestar minhas homenagens e parabenizar o cabo Maciel e todos aqueles que nele votaram. isso é um exemplo para o Brasil. 
          Através dessa eleição os amazonenses demonstram que querem a participação das forças de segurança no processo legislativo, o que não acontece no Rio de janeiro onde policiais e bombeiros preferiram deixar que decidam por nós.
          Essa eleição do cabo Maciel, vem demonstrar que a consciência política dos trabalhadores da Segurança Pública do Amazonas está exageradamente à frente dos mesmos trabalhadores do Rio de Janeiro, onde a vaidade de quem recebe 5.000 votos não lhe permite fazer uma parceria com quem recebeu 6.000 para que juntos possam representar a classe. uma vergonha essa vaidade que só divide. Mas ainda haverá o dia em que os humildes tomarão a dianteira e conseguiremos eleger pelo menos deputado estadual que lute pelos anseios da maioria.


          
   

domingo, 10 de outubro de 2010

DIRETO DO BLOG DO CAP ASSUMÇÃO 2

domingo, 10 de outubro de 2010
Metade da PM de São Paulo já pode se aposentar pelo regime especial
Fonte: Diário de SP
Cerca de 50 mil policiais seriam beneficiados pela mudança
Tahiane Stochero

Uma decisão inédita do Tribunal de Justiça (TJ) paulista está fazendo dezenas de policiais militares procurarem seus comandantes anunciando que irão passar para a reserva.
          Isso porque um mandado de injunção (texto que disciplina um assunto quando não há lei sobre o tema) concedeu ao sargento Eliseu Pessoa da Silva, do batalhão de Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, o direito à aposentadoria especial, com salário integral, após 25 anos de serviço.
          A medida, segundo apurou o DIÁRIO, afeta cerca de 50 mil policiais paulistas - metade do efetivo total da corporação do estado.
          Atualmente, pela lei militar de 1970, os PMs do estado só podem se aposentar após 30 anos de farda. Após esta decisão, o cabo Daniel Coutinho, que serve em Campinas, também obteve o direito, segundo a advogada que os defendeu, Josiê Souza. "Eu percebi que a aposentadoria especial por riscos era um direito dos PMs. O Supremo Tribunal Federal (STF) já havia se manifestado favorável em outros casos, como de policiais civis e de uma enfermeira", diz Josiê.
          A briga judicial existe devido à falta de uma lei específica que discipline a aposentadoria especial dos servidores públicos. A Constituição de 1988 prevê o direito aos trabalhadores que atuam em situações de risco à saúde e exposição a produtos químicos, mas determinou que uma lei complementar fixasse as regras do benefício. Tal lei, porém, ainda não foi elaborada pelo governo federal.
          "O policial militar ou civil, em razão da periculosidade do trabalho, já recebe adicional por portar arma e estar exposto ao risco de morte. Mas, diante da inércia da regulamentação sobre o direito exposto na Constituição, o STF decidiu que a aposentadoria especial fosse aplicada também aos PMs", diz Marta Gueller, advogada especializada em previdência.
          "No estado, a decisão diz que a aposentadoria deve ser requerida administrativamente e, se negada, a autoridade está passível de prisão por descumprir ordem judicial", acrescenta a advogada. A decisão vale para todos que já completaram 25 anos de serviço e quiserem se aposentar. O DIÁRIO apurou que, na PM, isso equivale a cerca de 50 mil policiais - metade do efetivo total da corporação.
          Segundo o coronel Ernesto de Jesus Herrera, diretor financeiro da PM, o departamento de pessoal está negando todos os pedidos de aposentadoria especial. "A lei estadual 260 determina 30 anos para a inatividade do PM. Por ser militar, as regras são diferentes dos civis. Os policiais agora estão protocolando requerimentos nos batalhões, exigindo este direito", afirma Herrera.
          Na intranet da corporação, o comandante-geral, coronel Alvaro Camilo, pediu que os PMs não entrassem com o pedido de inatividade e esperassem o "posicionamento oficial do Executivo". O Palácio dos Bandeirantes, que arcará com as despesas de um processo de demissão em massa na PM, disse que "a Procuradoria-Geral do Estado analisa o caso e irá se manifestar judicialmente.
Atividades que já ganharam o direito:
Auxiliar de enfermagem.
Policial civil
Oficial de Justiça.
Delegado de polícia
Operador de raio-x
Servidores do Ministério da Agricultura
Técnicos da comissão de energia nuclear
Guarda civil

O que é aposentadoria especial?
          Direito que o trabalhador tem de ir para inatividade remunerada após 15, 20 ou 25 anos de atuação sob condições insalubres ou de periculosidade. O benefício é analisado caso a caso e validado por um exame que comprova o emprego sob condições perigosas.

Veja mais detalhes clicando aqui:

STF DECIDE QUE APOSENTADORIA ESPECIAL ESTÁ EM PLENO VIGOR
GOVERNO CONCEDERÁ APOSENTADORIA ESPECIAL A SERVIDORES
PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 555/2010