A FRASE DE UM GRANDE AMIGO:

VOCÊ CONFIA EM MIM? DIAS DEPOIS ME CONVENCI DE QUE SÓ DEVO CONFIAR NA JUSTIÇA.

"Não se escravize às opiniões da leviandade ou da ignorância."
Não importa o que os outros pensam ou dizem de nós.
O que verdadeiramente importa é aquilo que realmente somos.
Tenha sua consciência tranquila, mesmo que seja condenado.
Não se esqueça de que Jesus foi condenado, e Herodes foi o vencedor momentâneo.
Mas responda: qual dos dois foi verdadeiramente o vencedor?
Fonte: Minutos de Sabedoria, C. Torres Pastorino

sábado, 17 de março de 2012

PARECE GUERRA FRIA, VAMOS VER ONDE VAI CHEGAR.

Globalitarismo da ONU versus Militares

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net 
Por Jorge Serrão
Não resta a menor dúvida de que a guerra psicológica permanente contra os militares, relacionando-os sempre a “crimes de tortura e abusos contra os direitos humanos” durante o governo dos presidentes militares (1964-1985), tem o único objetivo de ferir a soberania do Brasil. A mais recente manifestação das Nações Unidas, diretamente de Genebra, comemorando a esdrúxula ação do Ministério Público Federal contra o coronel Sebastião Curió é mais uma ação comprovada do globalitarismo contra as Forças Armadas –que são as responsáveis constitucionais por nossa soberania. 

Quem é o porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, Rupert Colville, para se meter em assuntos internos do Brasil? Por acaso tal sujeitinho tem alguma representatividade para se meter em assuntos que dizem respeito ao nosso País. Mais grave ainda é o estrangeiro cagar sua coma lá de Genebra, para defender algo que é ilegal. A quebra da Lei de Anistia, que já foi claramente reconhecida por nosso Supremo Tribunal Federal. Só idiotas, petralhas e netos da meretriz têm a cara de pau de pregar que a Corte Interamericana de Direitos Humanos seja colocada acima de nosso STF.

A ONU e a tal Corte alegam que a nossa Lei de Anistia é inválida. Na visão dos globalitaristas, seguida por inocentes inúteis ou por agentes conscientes a serviço da Oligarquia Transnacional que mantém o Brasil eternamente colonizado, as investigações criminais e processos deveriam prosseguir. Estes inimigos internos e externos do Brasil conceberam a estúpida Comissão da Verdade – cujo presidente de honra deveria ser o boneco Pinóquio.

Uma Ação Direita de Inconstitucionalidade vai detonar tamanha aberração. O Inciso IV do Art. 4º, da Lei nº 12.528, de 18/11/2011, prescreve que: “Para execução dos objetivos previstos no art. 3o, a Comissão Nacional da Verdade poderá: IV - determinar a realização de perícias e diligências para coleta ou recuperação de informações, documentos e dados”. O totalitário texto autoriza, até mesmo, que a Comissão proceda à busca e apreensão de documentos em locais públicos e privados, bem como invasão de domicílios por ela julgados suspeitos sem prévia autorização judicial. Tal fato caracterizaria de forma evidente o crime de usurpação de função pública já que afrontaria o disposto no art. 144, §§ 1º e 4º, da Carta Magna.
Também é autoritário o § 3º do Art. 4º, da Lei nº 12.528, de 18/11/2011. Segundo ele, “para execução dos objetivos previstos no art. 3o, a Comissão Nacional da Verdade poderá exigir que seja “dever dos servidores públicos e dos militares colaborar com a Comissão da Verdade”. O texto stalinista deixa explícito que “servidores públicos e militares têm o dever de colaborar com a Comissão Nacional da Verdade”. Quem não “colaborar” com os integrantes da Comissão estará deixando de cumprir um dever. No caso dos militares, descumprir tal dever pode redundar em prisão disciplinar e perda de posto e patente pelo Superior Tribunal Militar – STM. 

O Brasil está em franco processo de destruição institucional, seja pelo sistemático desrespeito às Leis em vigor ou na malandra e conveniente interpretação dada as leis conforme a vontade dos detentores do poder. Tal processo interessa ao globalitarismo – cujo objetivo principal e imediato é impedir nossa soberania. Os militares são atacados por este motivo. O resto é conversa fiada.

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 16 de Março de 2012.

Um comentário:

  1. Prezado leitor,
    Após vinte longos anos de serviços prestados a PMERJ, e depois de muito refletir, em busca de respostas razoáveis para muitos questionamentos acerca da Corporação, percebi que ela em quase nada melhorou. Muito aquém ao que esperávamos. Mas pra que mudar? Qual sociedade desejaria tal mudança? Quem idealiza um policial correto, honesto, (pro)(e)ficiente? Somente uma fração muito inexpressiva desta mesma sociedade, que já se prostituía mesmo no ventre materno. Há mais de duzentos anos. Faço coro com aqueles que acreditam na operação padrão como instrumento capaz de incomodar a sociedade, mas acredito que a má formação que nós, policiais militares, recebemos no CFAP prejudica e até mesmo inviabiliza a realização desta empreitada. Deste modo, meu amigo, a razão me leva a compreender que somos o que somos não apenas por opção, mas porque alguém assim decidiu.. A monstruosa corrupção no seio da instituição é horripilante, entretanto, nenhuma medida tem sido tomada, de fato, para pelo menos diminuir seu crescimento, e mantê-la num nível aceitável. Assim ouso dizer, pois qual seguimento da sociedade é verdadeiramente puro? Nem o religioso! E ainda há outros. De que serve o talento, se a atriz é gostosa? Se o ator tem olhos azuis? Também é exemplo de desvio de conduta a não emissão da devida nota fiscal pelo taxista ou pelo motorista/cobrador de ônibus. Você, leitor, tem o hábito de exigir a nota fiscal referente àquele lanche, ou cafezinho, que consumiu estando de serviço ou de folga? Não precisamos ir muito longe. No seu batalhão, o cantineiro emite nota fiscal? Tudo isso parece exagero. E de fato o é, quando o sujeito que falha não é PM. Praça, pra ser mais preciso. Mas, considerando a PMERJ em sua inteireza, a corrupção tem lá a sua utilidade. Muita, ouso dizer. Tem a função de nos controlar, pois quando foi que você viu um policial conhecidamente digno assumir qualquer cargo/função. Não me lembro de ter visto tal coisa. Mas vi indignos oficiais e praças em posições privilegiadas. Uma multidão. Na verdade, o justo jamais se manterá no poder, visto não ter ele o rabo preso com o sistema. Tornando-se, por conseguinte, um entrave ao “bom funcionamento” desse câncer cuja cura é indesejada pela maioria. Quando menos esperar será julgado inapto para o cargo ou função. Festejadamente, tal notícia logo chegará. E apesar da indignidade que lhe caracteriza, assistiremos (a)o da banda podre, ainda que contrariados. Caro leitor, é bom que tenhamos uma visão clara e objetiva das nossas circunstâncias, pois somente de posse dela é que estaremos habilitados para lutar contra as coisas que são e reivindicar uma outra configuração institucional.

    Ass. Sgt Jeremias

    ResponderExcluir