A FRASE DE UM GRANDE AMIGO:

VOCÊ CONFIA EM MIM? DIAS DEPOIS ME CONVENCI DE QUE SÓ DEVO CONFIAR NA JUSTIÇA.

"Não se escravize às opiniões da leviandade ou da ignorância."
Não importa o que os outros pensam ou dizem de nós.
O que verdadeiramente importa é aquilo que realmente somos.
Tenha sua consciência tranquila, mesmo que seja condenado.
Não se esqueça de que Jesus foi condenado, e Herodes foi o vencedor momentâneo.
Mas responda: qual dos dois foi verdadeiramente o vencedor?
Fonte: Minutos de Sabedoria, C. Torres Pastorino

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

ALGO SOBRE A REUNIÃO DE OFICIAIS.

A 2nião dos oficiais aconteceu!

A 2ª reunião dos oficiais aconteceu!

Quem não foi perdeu ótima oportunidade de ser ouvido e de decidir nosso futuro, de nossas famílias e de nossas instituições(PMERJ e CBMERJ).

A reunião aconteceu nas confortáveis instalações do clube de oficiais do cbmerj (http://www.clubedosoficiaisbmrj.com.br/), cedidas gentilmente pelo presidente o Sr. Cel BM Ref.Manoel Moura Gaspar, a quem desde já, deixamos nossos efusivos agradecimentos. Cel Moura nossa continência.

Com direito a farto coffee break, desta vez foi farto mesmo, som, computador e projetor multimídia a nossa disposição, recebemos o convite do presidente para se associar ao clube, convite este que temos a honra de estender a todos os oficiais.

Associe-se clicando no link abaixo.


 Em seguida os oficiais presentes foram divididos em grupos para discutirem as propostas apresentadas. No inicio das discussões já foi possível perceber que existia um consenso de que a pauta precisaria ser a mais enxuta possível, focando prioritariamente na questão salarial, e que outros assuntos deveriam ser discutidos num segundo momento.

Esse posicionamento acabou sendo adotado por todos os grupos e muitas sugestões, apesar de importantíssimas, serão objeto de reivindicação num futuro próximo.

A pauta da reunião ainda está sendo retificada pelo secretário da assembleia e em breve será publicada.

Outro ponto importante definido foi a participação do grupo na mobilização do dia 29/01 em Copacabana, se a comissão representativa dos praças aceitar a inclusão nesta dos representantes dos oficiais (PM e BM).

Foi realizada uma eleição para definir quem seriam os representantes temporários dos oficiais. Foram eleitos o Maj BM Marcio Garcia e o Cel PM Rabelo.


Até que seja realizada outra assembleia, estes vão representar os oficiais da pmerj e cbmerj. Esperamos que a próxima assembleia possa contar com mais voluntários para a função.

Com a certeza de que mais um passo foi dado na direção da vitória, o presidente da assembleia,Sr Cel PM Herrera, oficial mais antigo presente, declarou encerrada a reunião, e podemos nos despedir e regressar para nossas residências com o sentimento de dever cumprido.
Em breve divulgaremos a ata da reunião.
Fonte: majmarciogarcia.blogspot.com

MOMENTO DE SENTAR PARA ANALISAR.

EXTRA, EXTRA: CEL SIMÕES ANUNCIA PLANO DE ANTECIPAÇÃO DE REAJUSTE DE BOMBEIROS E POLICIAIS -RJ


Acabo de receber ligação telefônica do Exmo. Sr. Cel BM Simões, Secretário de Estado de Defesa Civil e Comandante-Geral do CBMERJ, oficializando que o Estado antecipará TODAS as parcelas do reajuste que estavam previstas para o ano de 2012. Fato esse que, mesmo em meio à essa tragédia que mobiliza todos nós Bombeiros, Policiais e Cidadãos fluminenses, sinaliza uma vitória na busca de dignidade!
O Cel Simões me apresentou o seguinte plano de reajuste:
- Fev/12: 12% de antecipação de reajuste (relativos a 2012);
- Fev/13: 12% de antecipação de reajuste (relativos a 2013);
- Out/13: 12% de antecipação de reajuste (relativos a 2014).
Para 2014, abre-se uma nova mesa de negociação para que tenhamos uma novo reajuste!
Minha continência ao Exmo. Sr. Cel BM Simões que, mesmo em meio ao caos no Centro do Rio, vem anunciar essa vitória e, principalmente, por nos fazer confiar em suas habilidade e capacidade de bem representar nossos SOLDADOS DO FOGO e a todos bombeiros e policiais que há anos vêm lutando de maneira ordeira e pacífica por DIGNIDADE!
Ainda não chegamos ao ideal, mas acredito que estamos no caminho certo.
JUNTOS SOMOS FORTES,
Lauro Botto - Cap BM. 

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

NOTA DE FALECIMENTO.

          Faleceu no dia 21 de janeiro do corrente o Subtenente Bombeiro - Militar GERALDO SODRÉ. Deixamos aqui os nossos mais sinceros sentimentos à família e desejamos que Deus a conforte, assim como a todos os amigos que conviveram com ele durante 30 anos de bons serviços prestados à sociedade.
          O ex-subtenente SODRÉ esteve lotado no 7º GBM - Barra Mansa durante muitos anos e quando foi para a inatividade servia no 22º GBM - Volta Redonda.

Diário do Vale: PMs da Costa Verde participam de encontro em Angra

Diário do Vale: PMs da Costa Verde participam de encontro em Angra

AMANHÃ, REUNIÃO DE OFICIAIS.

e, 25/01, 

Considerando que, apesar do seu sucesso, na primeira reunião avançamos pouco nos trabalhos;
Considerando que impreterivelmente devemos decidir sobre diversos quesitos nesta quinta-feira;
Considerando as sugestões e críticas dos oficiais que compareceram a reunião;

A comissão organizadora decide:
1 - Alterar as regras de funcionamento da reunião conforme orientações abaixo:

Fórum Permanente de Oficiais

Objetivo da reunião:
1 - Discutir o posicionamento dos oficiais frente a recente mobilização originada na PMERJ que tem ecoado em nossos quartéis.
2 - Votar os itens da nossa proposta de pauta de reivindicação.
3 - Definir a melhor postura para defender o CBMERJ e nosso futuro.
4 – Definir se a os oficiais vão participar da mobilização programada para o dia 29/01 intitulada como: 1º ENCONTRO DE POLICIAIS E BOMBEIROS DO RJ, que acontecerá em frente ao COPACABANA PALACE, às 10h.
5 – Eleger uma comissão de oficiais que irá representar os oficiais do cbmerj e pmerj na mobilização.

Convidados:
1 - Oficiais bm e pm, ativos e inativos.

Normas gerais:
1 – A reunião começará impreterivelmente às 19 horas.
2 – A reunião iniciará com a formação de grupos de trabalho, que vão preparar um posicionamento sobre as sugestões da pauta de reivindicação. O grupo vai discutir a viabilidade da proposta analisada e se posicionará a favor ou contra a sugestão. Após a exposição do representante do grupo, que não deve ultrapassar os 5 min, será oportunizada a possibilidade de alguém defender um posicionamento contrário. Depois das exposições, a assembléia, por maioria de votos, vai decidir sobre a inclusão da sugestão na pauta de reivindicações da categoria.
3 – Será obedecida a ordem de exposição definida pela mesa.
4 – Após o julgamento das sugestões para pauta de reivindicações, serão votados os quesitos que a mesa julgar pertinente, entre eles, a participação dos oficiais na mobilização do dia 29/01.
5 – O resultado das votações será consolidado em ata e divulgado via internet.
6 – Os trabalhos serão organizados pela mesa, que será organizada visando a maior representatividade possível, contado com um oficial QOC da ativa e outro inativo, um oficial QOA da ativa e outro inativo, um oficial QOS da ativa e outro inativo etc.
7 – Não havendo consenso entre os ocupantes do quadro em quem vai ocupar a mesa, o mais antigo que desejar representará o quadro na mesa terá preferência.
9 – Oficiais que foram ou pretendem ser candidatos a cargos eletivos estão convidados, mas não vão receber tratamento diferenciado. Não vão ter nenhuma prioridade e nem mais tempo de exposição. Eu, Maj Marcio Garcia, não vou estar na mesa, e não vou dar nenhuma opinião durante os trabalhos do fórum.

OBSERVAÇÕES:
1 - Não será franqueada a entrada de praças.
2 - Os oficiais da corregedoria e 2º seção também não estão convidados.
3 – Compareçam a paisana e desarmados.
4 – Ocupantes de cargos eletivos (Deputados, vereadores etc) não estão convidados.
Fonte: majmarciogarcia.blogspot.com

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

ATA DA REUNIÃO DOS OFICIAIS NO CLUBE DE SUBTENENTES E SARGENTOS.

RIO DE JANEIRO, 23 DE JANEIRO DE 2012.

Ata da 1ª REUNIÃO DE OFICIAIS

Reunidos no Clube de ST\Sgt em Madureira, cerca de 50 Oficiais do CBMERJ (da ativa e da reserva) e da PMERJ (da ativa e da reserva) passaram a deliberar sobre ações a serem tomadas frente as questões salariais e a atual situação das Corporações. Para tanto compuseram uma mesa com os Oficiais mais antigos representando cada uma das categorias.
O Sr Cel PM ALEXANDRE CARVALHAES ROSETTE colocou-se como primeiro inscrito e abordou a questão dos inativos, solicitando a observação de que as reivindicações não devam restringir-se aos da ativa; também relembrou o fato de que há lei regulamentando a questão salarial do militar estadual e que a não observância desta é evidente;
O Sr Cel PM Paulo Ricardo Paúl, segundo inscrito, abordou a questão da necessidade de objetivos claros e únicos em nossa mobilização, citando a falta de comunicação e diferentes discursos realizados na passeata realizada em Copacabana, o que, pleiteia, faça-se de forma diferente por ocasião deste novo momento;
O Sr Cap BM Lauro Botto, como terceiro inscrito, realizou um breve resumo sobre o movimento em prol da questão salarial e, após tecer os devidos agradecimentos aos organizadores desse encontro, enumerou as questões a serem debatidas, a saber:
1) O posicionamento dos Oficiais quanto à possibilidade de paralisação das Corporações no dia 10 de Fev próximo;
2) A confecção de um documento por escrito ao Comando das Corporações com as propostas elaboradas por estes Oficiais reunidos;
3) A necessidade de permanência desse fórum de debate, com ampla participação dos Oficiais no debate de questões importantes às Corporações;
A seguir, o Sr Maj PM Hélio, após breve relato de sua carreira profissional, fez pública a importância de focar na questão salarial os esforços desse grupo de Oficiais, citando a necessidade de restrição à questão de vencimentos pelos oradores quando das próximas passeatas.
O Sr Cap BM Marchesini, citou em seguida o que entendeu como motivo do sucesso alcançado pelas praças BM em sua organização em prol de salários: a união alcançada, diferentemente do que acontece com a classe dos Oficiais, levou-os ao êxito parcial, com o acréscimo de gratificações, anistia e algumas outras benesses conseguidas. Citou que a baixa adesão é fator de enfraquecimento e solicitou como objetivo principal a melhoria salarial, indagando quanto ao que será feito de concreto pelos Oficiais;
O Sr Ten BM Nilo Guerreiro, presidente da Associação de Praças, citou a seguir que diversos documentos foram confeccionados aos órgãos competentes para alertar sobre irregularidades e disparidades observadas nas Corporações; citou ainda a legitimidade de sua representatividade como presidente de uma entidade de classe, como pessoa jurídica, com assessoria jurídica inclusive. Num breve relato da história da associação, citou a importância de não permitir que sejamos “massa de manobra” de pessoas com interesses políticos, fugindo ao foco. Citou a criação do Partido da Segurança Pública e da necessidade de participação em uníssono, já que a formação de pequenos grupos isolados não logrará êxito;
O Sr Cap BM Montenegro, registrou sua insatisfação em observar um pequeno número de oficiais QOS na reunião e realizou uma breve análise da questão orçamentária do Estado, citando como uma vertente a possibilidade de levantarmos dados sobre este Orçamento.
O Sr Cap BM QOS _____, citou sua experiência profissional anterior no Exército Brasileiro e a diferença cultural entre aquela instituição e a nossa Corporação quanto à liderança e representatividade do oficial junto à tropa; quanto a urgente necessidade de melhores salários, citou a permanente predisposição do Bombeiro Militar para participação em eventos diversos, estando diuturnamente em condições de atuar, se necessário. Citou como possíveis estratégias a atuação do movimento em serviços estratégicos como no IML, p. ex., conscientizando e chamando ao debate os integrantes das Instituições que prestam este serviço. Ratificou que a questão salarial é o objetivo premente das Corporações e que podemos e devemos reunir mais oficiais para o movimento.
Após intervalo de cerca de 10 minutos para o coffee break, o Sr Cel PM Rabello, representando o Clube dos Oficiais PM tomou a palavra citando sua atividade em prol da PEC300 e assuntos assemelhados; ainda, elencou sua satisfação em observar o atual movimento e citou o movimento realizado na década de 80 e o sucesso obtido, mas lamentou a não continuidade pelo fato dos militares se apartarem da política; num breve relato histórico, elencou a força alcançada pelos movimentos sociais, citando como instrumento democrático a mobilização em prol do PSDC (Partido da Segurança e Defesa Civil). Para o dia 29 próximo, conclamou que cada oficial presente deva levar o maior número possível de participantes, pois nessa data, o movimento mostrará sua força não só ao Governo do Estado, como também do Governo Federal;
O Sr Cel BM Paúl retomou a palavra alertando para que não acontecesse o mesmo que no Estado do Ceará, com o não cumprimento pelo governador das promessas feitas; a seguir, relatou a necessidade de focarmos o que será realizado pelos Oficiais antes do dia 29/01, alertando que até 5ª feira devemos ter uma resolução.
Ato contínuo, o Sr Cel PM XXXXXX fez pública sua participação na passeata no dia 29/01 dado seu posicionamento frente as questões salariais; relatando que a PMERJ, o CBMERJ e a Polícia Civil estão há muito tempo isoladas, elencou que participará dos dois próximos eventos, independente da liderança atual; conclamou todos a adicionar mais oficiais, integrando-se a luta salarial, reforçando a necessidade da presença de Oficiais nesse mister;
Desta forma, encerrou-se o fórum de debates e iniciou-se a deliberação sobre as propostas já apresentadas. O primeiro questionamento foi acerca de se com o efetivo presente, poderemos montar uma pauta de reivindicações, decidindo o rumo da mobilização dos oficiais? Votaram que sim, 15 pessoas, o que corresponde a menos da metade, portanto, fica definido, por maioria, que adiou-se para a próxima reunião na 5ª feira a votação das questões. Será votado na 5ª, se os Oficiais PM/BM vão participar da caminhada dia 29/01 e se os oficiais vão aderir à dita greve dia 10/02.
O Sr Cap BM Marchesini ratificou a necessidade de aqueles que estiveram presentes se comprometerem com aquilo que fora acordado.
A assembleia propôs a constituição de uma comissão que irá representar os Of BM/PM junto ao movimento já existente das praças. Por unanimidade foi votado que sim, que na 5ª feira deveremos definir tal comissão.
O Cap BM Lauro citou que deva haver uma contrapartida para a integração dos Oficiais ao movimento das praças; o condicionamento do nosso apoio ao movimento dos praças se estiverem claras as reivindicações específicas da classe de oficiais;
Após inflamado debate, ganhou por ampla maioria a reivindicação de piso salarial de R$3.500,00 pro Soldado e R$7.000,00 pra um 2º Tenente; tal reivindicação deverá ser parte dos pleitos do movimento das praças, de forma explícita.
A seguir, indagou-se como ampliar a participação de mais oficiais nas reuniões, e sugestionou-se a realização de reuniões pelos quartéis do interior, que serão visitados por comissões de oficiais a partir da próxima semana em data a ser definida.

___________________________
Alessandro Gustavo Bernardino Silva
Fonte:majmarciogarcia.blogspot.com

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

A greve dos policiais e bombeiros

A greve dos policiais militares: exemplo de organização, dignidade e obstinação!

* Wagner Baldez

MA - Ainda que o assunto abordado sobre a greve dos Policiais Militares e Corpo de Bombeiros em nosso estado pareça um tanto tardio para alguns, asseguramos ser autoengano, já que, pela valorização do acontecimento, passou a fazer parte da nossa história; e, por tratar-se de mencionada ciência, qualquer que seja o tempo, o fato é considerado atualizado.

Assim sendo, desejamos levar ao conhecimento da população, com absoluta fidelidade, os pormenores ocorridos, a partir do procedimento das partes (Governo e Grevistas) até o desfecho final do aludido impasse.

Tão logo foi deflagrado o movimento paredista, a 'Governadora', desprovida de quaisquer sentimentos de justiça e solidariedade, cultivando unicamente arrogância e mórbida vaidade, não admitiu parlamentar com as lideranças do movimento enquanto perdurasse a greve: exigência rejeitada pelo comando de greve. Sem dúvida, inesperado comportamento causou à Dona Roseana terrível impacto e constrangimento, já que se acostumara a manipular a corporação. Esta foi a primeira derrota sofrida pela mandatária do Executivo maranhense.

Em seguida, inspirando-se no gênio militar do general Napoleão Bonaparte, que afirmava: 'Perder uma batalha não significa perder a guerra'... Dona Roseana se motivou a prosseguir a luta, etapa em que exerceu violenta pressão contra seus oponentes.

Acontece que ela, duvidando da posição coerente dos grevistas e pretendendo amedrontá-los, apelou à Justiça que decretasse a prisão das lideranças, inclusive que fosse descontado R$ 200,00 nos vencimentos de todos os participantes: ato que não vingou...

Ainda supondo arrefecer a resistência dos grevistas, solicitou a presença da Força Nacional e Tropa de Exército, providência que de forma alguma alterou a firme posição dos militares. Em razão do acúmulo de derrotas, presumiu-se que ela desistisse de suas intervenções diabólicas... qual nada!

Como última cartada (não de baralho...), tentou impedir o apoio das demais classes. Para ela, isso seria possível, pelo fato de, historicamente, tais classes serem vítimas da truculência policial, quando, concentradas nas praças, reivindicavam seus direitos.

A verdade é que, para desespero seu, nada do que ela havia idealizado se viabilizou...simples devaneio! Foi ai que ela passou a acreditar na sua humilhante derrota!

Como membro do Instituto Maria Aragão, Comitê de Defesa da Ilha e PSOL, fizemo-nos presentes ao ato, a fim de prestarmos a nossa decidida contribuição.

Outrossim, naquela ocasião, assomou-nos o desejo veemente de conhecer pessoalmente os Coronéis Ivan e Melo, no sentido de demonstrar o nosso respeito e admiração pelo gesto de dignidade como se comportaram no que se refere ao apoio dispensado aos companheiros de farda nesse episódio, o qual marcou uma nova época para os movimentos de massa.

Quanto aos demais ocupantes do posto de Coronel, comporta, por oportuno, uma interrogação: será que esses oficiais superiores aceitaram que fosse incorporado aos seus soldos o aumento conquistado com sacrifício pelos demais companheiros, sem haver tais patentes sequer participado de uma única batalha?!

O que mais consagrou esse memorável e épico acontecimento, porém, foi os policiais militares quebrarem a demasiada arrogância de Dona Roseana, cuja prática era, covardemente, empregada contra os fracos e injustiçados!!!

Concluindo a presente narrativa, merece alusão o fato inusitado de vermos colocado na faixa de governadora por ela usada, uma tarja negra, simbolizando a decadência ou sepultamento de sua autoridade como chefe de estado.

*Funcionário público aposentado.
Fonte:Blog do Cap Assumção

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

ATÉ AS FORMIGAS SABEM QUE JUNTAS SÃO FORTES.

AGENDA DIVULGADA NO BLOG SOS PMERJ

Agenda do Movimento SOS PMERJ e SOS BOMBEIROS


Hoje dia 20/01/2012 às 08:30h  o jornalismo do SBT fez uma entrevista no bairro de Bangu, onde foram entrevistados POLICIAIS e BOMBEIROS MILITARES.
A  entrevista deverá ir ao ar,   HOJE  no JORNAL DO SBT  às  19:40h, ou na  2ª feira às 12:00h.
Este mesmo grupo se reuniu e elaboraram  uma agenda que deverá ser seguida até o dia 10/02/2012, e que poderá ser alterada, principalmente se as reivindicações da PMERJ e do CBMERJ forem atendidas.

Segue a agenda da COMISSÃO PROVISÓRIA:
1 – Abrir uma conta doação" voluntária" com algum membro da PMERJ, para custear as despesas do movimento, visto que o SOS BOMBEIROS já tem a sua conta : Banco Itaú. Agência-4550 Conta poupança-05525-7/500.
2- Formar a comissão de negociação, com integrantes da PCERJ, PMERJ e CBMERJ ao Governo.
3- Formar o Conselho do Movimento dos POLICIAIS e BOMBEIROS, fazendo partes deste, " OFICIAIS e PRAÇAS " ativos, inativos, reformados e  pensionistas.

4- Elaborar, planejar, divulgar e iniciar a " OPERAÇÃO TOLERÂNCIA ZERO " e " CUMPRA-SE A LEI ". Com início para o dia 30/01/2012.

5- Efetuar o Habeas Corpus preventivo aos POLICIAIS e BOMBEIROS.

6- Confeccionar folhetos informativos, e faixas com temas do MOVIMENTO dos  POLICIAIS e BOMBEIROS.
7- Comunicar os atos e movimentos a imprensa em geral.
8- Encaminhar ofícios de comunicação da reunião e caminhada do HOTEL COPACABANA PALACE  até  o POSTO 6, no dia 29/01/2012 às 10h, aos seguintes órgãos:
POLÍCIA CIVIL, CORPO DE BOMBEIROS, BATALHÃO DE POLÍCIA DA ÁREA e CET-RIO.
9- Dia 29/01/2012 – Concentração em frente ao COPACABANA PALACE às 10h. Policiais Militares, Civis e bombeiros  em trajes civis e desarmados.

10- Dia 03/02/2012 – Ato da UEMRJ ( União das Esposas dos Militares do Rio de Janeiro) no PALÁCIO GUANABARA. Concentração  às 09:30h no Largo do Machado, para caminhada até a SEDE DO GOVERNO.

11-  Dia 06/02/2012 (doação de sangue )  foi decidida pela comissão provisória que  nesta data será o dia do SANGUE AZUL e dia do SANGUE VERMELHOrespectivamente, pelos POLICIAIS MILITARES e BOMBEIROS MILITARES.

12- Dia 10/02/2012 -  Aquartelamento da PMERJ e do CBMERJ, inicialmente com os MILITARES de folgas acompanhados(as) de suas esposas(os).

 Att. Comissão Provisória.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Reunião dos Policiais e Bombeiros do Rio

ESSE É O VERDADEIRO POLICIAL!

OFICIAIS SE REUNIRÃO PARA PAUTAR REIVINDICAÇÕES.

Reunião dos Oficiais - 23/01 - 18 horas - Pauta de reivindicações dos Oficiais - Em construção - COLABORE

Está na hora de realizar a reunião dos oficiais.
Não temos como adiar mais.

Não seremos atropelados pelos acontecimentos!!!

Vamos nos posicionar! Contra ou a favor, nós temos uma opinião!

Ela vai ocorrer no clube de subtenentes e sargentos em madureira. No dia 23 de janeiro às 18 horas. O clube fica na travessa Carlos Xavier, nº 103, em Madureira.
Fonte: majmarciogarcia.blogspot.com

Reunião na sindisprev reuniu 1500 pms bms e pcs! Fonte: pmerjnolocal.blogspot.com

     Foi um sucesso a reunião realizada hoje no predio da sindisprev, que de tantos valentes guerreiros, teve que ser realizada na rua, ficou decidido que no dia 29/01estaremos em COPACABANA , em frente ao Copacabana Palace as 10:00horas ,para mais uma vez alertamos a população do descaso do senhor governador; também ficou decidido que no dia 10 de fevereiro a PMERJ, oCBMERJ e a PCERJ entrarão em greve para mostrar que estamos unidos e decididos, se não formos atendidos nas reinvindicações o carnaval do Rj vai ser sem as policias e o bombeiro. Amigos JUNTOS SOMOS IMBATÍVEIS  e iremos conseguir a nossa dignidade.







PMs e bombeiros do Pará em greve tem apoio de central sindical.

Desde a manhã de hoje o comando de greve está reunindo com representantes do governo, mas ainda não houve acordo. O governo tucano propõe reajustes diferenciados entre algumas patentes (de 14% a 22%) e ainda não sinalizou com aumento para todos nem com o atendimento das cláusulas sociais.

A realidade de precarização das condições de trabalho dos policiais e bombeiros militares é nacional. Os movimentos realizados em estados como RJ e CE serviram de inspiração para a rebelião dos policiais no Pará. 

A CSP-Conlutas esteve presente nas assembleias e manifestações ocorridas e prestou sua solidariedade política e material para os militares em luta. A CSP-Conlutas Pará chama os trabalhadores de todo País inteiros a se solidarizarem com a luta dos militares, exigindo o atendimento da pauta dos bombeiros e PM’s, e defende que não haja nenhuma punição para os grevistas e que o direito de greve seja respeitado por parte do governo do Estado.

Reunião Histórica dos Policiais MIlitares, Bombeiros e Policiais Civis -...

sábado, 14 de janeiro de 2012

DIZER QUE NÃO SABIA, NÃO VAI CONVENCER A NINGUÉM.

REUNIÃO COM POLICIAIS MILITARES E BOMBEIROS.
DIA 15 DE JANEIRO ( DOMINGO.
Local: Sindicato dos Metalúrgicos de Volta Redonda - Bairro Retiro.
Horário: 10:00 hs.
TEMA: Valorização e dignidade dos Policiais e Bombeiros Militares.

OS PMs ESTÃO COMEÇANDO BEM.

RIO: MOBILIZAÇÃO DOS BOMBEIROS E POLICIAIS MILITARES - REUNIÃO COM O COMANDANTE GERAL.

POLICIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.
Ata da reunião com o Sr. Cel. PM Erir Costa Filho, CMT Geral da PMERJ, realizada no dia 13 de janeiro de 2012, as 09h00min no Auditório do Quartel General com o efetivo das seguintes Unidades: UPP Borel, UPP Salgueiro, UPP Andaraí, 3ª DPJM, 1ª CIPM, Diretoria de Logística, Tribunal de Justiça, Ajudância, DGS, DGP, Corregedoria, APM D. João VI, GCG, BPFMA, DIP, CG, Diretoria de Finança, Reformados, Inativos, BPChoque , BPTur, 3º BPM, 5º BPM, 6º BPM, 10º BPM, 16º BPM, 19º BPM, 20º BPM, 22º BPM, 23º BPM, 25º BPM, 26º BPM, 33º BPM, 41º BPM, com o inicio da reunião o representante da comissão, reunida com o Sr. CMT Geral, apresentou para o mesmo as propostas (Pauta de solicitação) elaboradas pela comissão, “aumento de salário, vale transporte, carga horário (escala de serviço), proteção aos agentes de segurança pública, equipamento de segurança, fim de sistema do rancho (substituição por vale-refeição), fim das prisões administrativas, não punição e perseguição dos PPMM que estão reivindicando melhorias”, após a leitura da referida proposta o Sr. CMT Geral grifou os itens principais tais como aumento do salário, informando que a equipe técnica já encontrava-se fazendo os cálculos para apresentar proposta ao Sr. Governador, deixando claro que o mesmo (CMT G.) não é a favor das gratificações que vem sendo dadas desde os Governos passados sendo a favor de um salário digno para que o policial possa ir para sua reforma sem perdas. Vale Transporte e carga horária o CMT Geral informa que já estaria providenciando de imediato. Foi entregue também por esta comissão o Plano Diretor 2007/2010 assinado pelo atual CMT Geral conforme consta em Adit. BOL PM 001 de 02 de janeiro de 2007, em que o Policial é o bem maior da Policia Militar, sendo entregue o Diário Oficial da União edição 240 seção 1,12,13 de 16 de dezembro de 2010 onde estabelece as diretrizes nacionais de promoção e defesa dos direitos humanos dos profissionais de segurança pública, e outro documento onde fala sobre a inconstitucionalidade do RDPM e suas Jurisprudência, sendo entregue o documento referente a Lei Estadual 3921 de 23 de agosto de 2002 (Assédio Moral contra Policias Civis e Militares) a referida Lei foi sugerido pela Comissão que a mesma fosse publicada em BOL PM, o CMT falou que tais documentos seriam entregues ao Departamento Jurídico. O CMT Geral falou sobre o novo Decreto em relação aos Sargentos de curso e que o referido Decreto já estaria saindo nas próximas semanas. O Sr. CMT colocou-se como o LIDER da Instituição e que a responsabilidade é dele, não deu prazo para entrega da proposta salarial e que encontra-se no Comando apenas há 03 (três) meses e que o grupo deve tomar cuidado com os aproveitadores oposicionistas ao Governo que querem se juntar ao grupo para buscarem posições, que a comissão deixou claro que não tem problema contra o Governador Sergio Cabral e nem tão pouco com o CMT Geral, porém a comissão quer que as propostas sejam aceitas e que até a data de 10 de fevereiro de 2012 o CMT Geral estaria marcando uma outra reunião com a comissão. A reunião do dia 18 de janeiro continua marcada as 19:00h na Lapa, para maiores esclarecimentos. Contamos com a presença de todos.
Fonte: Blog do Cel Paúl

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

JB DIVULGA POSSÍVEL GREVE DOS PMs DO RIO.

EM CLIMA DE GREVE, POLICIAIS NEGAM ENVOLVIMENTO COM POLÍTICOS.
MOVIMENTO GREVISTA FOI ACUSADO PELO COMANDANTE-GERAL DE SER POLITIZADO

Jornal do BrasilJorge Lourenço

Representantes de cada batalhão se reúnem na manhã desta sexta-feira (13/01) com o comandante-geral da Polícia Militar, o coronel Erir Ribeiro Costa Filho, para expor as exigências do movimento grevista. Desde o sucesso da paralisação da categoria no Ceará, a PM fluminense tem se unido cada vez mais para tomar o mesmo rumo.  Como Erir Ribeiro tem bom relacionamento com a tropa, sua ideia original era levar as reivindicações dos policiais ao governador Sérgio Cabral.
As eleições municipais deste ano, no entanto, já figuram como o principal obstáculo dos grevistas. O governador teme que seus adversários políticos se aproveitem da mobilização e usá-la como palanque contra a reeleição de Eduardo Paes, por isso já indicou ao comandante-geral que terá pouca tolerância com uma possível paralisação do dia 11 de fevereiro. Em contrapartida, os líderes da greve garantem que não têm qualquer vínculo político com adversários do governo.
“Está claro para os líderes da greve que o governador Sérgio Cabral não é nosso inimigo. Nós estamos defendendo a nossa categoria, e não enfrentando o governo. Tanto é que, se nossos pedidos forem atendidos, não vai haver greve”, explica o cabo Joao Carlos Soares Gurgel, um dos líderes do movimento grevista. “É claro que não podemos ser hipócritas. Estamos falando de milhares de policiais militares. Alguns podem realmente ser abertamente contra o Sérgio Cabral e simpatizar com seus rivais, mas esse não é o espírito do nosso movimento.