A FRASE DE UM GRANDE AMIGO:

VOCÊ CONFIA EM MIM? DIAS DEPOIS ME CONVENCI DE QUE SÓ DEVO CONFIAR NA JUSTIÇA.

"Não se escravize às opiniões da leviandade ou da ignorância."
Não importa o que os outros pensam ou dizem de nós.
O que verdadeiramente importa é aquilo que realmente somos.
Tenha sua consciência tranquila, mesmo que seja condenado.
Não se esqueça de que Jesus foi condenado, e Herodes foi o vencedor momentâneo.
Mas responda: qual dos dois foi verdadeiramente o vencedor?
Fonte: Minutos de Sabedoria, C. Torres Pastorino

sábado, 23 de março de 2013

POLICIAIS PRESOS NO PARÁ.


Nove PMs são presos acusados de incitar greve


Dois sargentos e sete soldados da Polícia Militar (PM) do Pará foram presos, ontem, acusados de incitar um movimento de greve entre a categoria. Segundo a acusação, eles utilizaram os seus perfis nas redes sociais (Facebook) para incentivar a “conspiração” e cometer injúrias contra autoridades da PM.
Um inquérito policial militar foi aberto para investigar o caso e deverá ser concluído no prazo de 20 dias. Se condenados, os policiais podem receber pena de até nove anos de reclusão e ainda ser expulsos da corporação. Entre os acusados está uma policial, que foi encaminhada para o Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA), onde será mantida presa. Os demais policiais foram levados para o Centro de Recuperação Anastácio das Neves, em Americano.
O promotor de Justiça Militar, Armando Brasil, destacou que o crime de conspiração para motim está previsto no Código Penal Militar, por isso pediu a abertura de um inquérito policial militar para investigar a acusação. “Irei emitir um ofício para o Conselho de Disciplina para que julguem as ações dos militares a fim de pedir que eles sejam expulsos da corporação”, acrescentou.
Segundo o comandante geral da Polícia Militar, coronel Daniel Mendes, as investigações sobre este caso começaram pelo serviço de inteligência da corporação, que emitiu um relatório no qual aponta que policiais militares teriam começado a falar em greve nas redes sociais. “São várias mensagens que incentivam a prática de greve”, reforçou Daniel Mendes.

INQUÉRITO
Em seguida, a corregedoria da PM abriu inquérito para investigar a denuncia e teria constatado a incitação para a prática de motim, o que configura um crime militar e prática de desobediência e indisciplina. Diante dessa situação, a corregedoria solicitou à Justiça Militar a prisão preventiva dos acusados.
A incitação teria começado em virtude de um suposto descontentamento da categoria, que reivindica aumento de salário e melhores condições de trabalho. A Associação de Cabos e Soldados da Polícia e Bombeiro Militar do Pará não se manifestou oficialmente sobre este episódio, mas o presidente da associação, cabo PM Francisco Xavier antecipou que a entidade dará apoio aos militares presos.
“Se tudo tivesse certo não se falaria em greve entre os policiais militares. Iremos acionar o departamento jurídico para acompanhar o caso e dar apoio aos que foram presos”, disse. Xavier alega que os policiais militares recebem baixos salários e possuem uma carga horária elevada.
(Diário do Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário