A FRASE DE UM GRANDE AMIGO:

VOCÊ CONFIA EM MIM? DIAS DEPOIS ME CONVENCI DE QUE SÓ DEVO CONFIAR NA JUSTIÇA.

"Não se escravize às opiniões da leviandade ou da ignorância."
Não importa o que os outros pensam ou dizem de nós.
O que verdadeiramente importa é aquilo que realmente somos.
Tenha sua consciência tranquila, mesmo que seja condenado.
Não se esqueça de que Jesus foi condenado, e Herodes foi o vencedor momentâneo.
Mas responda: qual dos dois foi verdadeiramente o vencedor?
Fonte: Minutos de Sabedoria, C. Torres Pastorino

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

DO MESTRE COM CARINHO.

Pedagogia

Venho ao longo do tempo sonhando.
Sonhando e lutando por uma educação
que possa fazer a criança feliz.
... Que possa extirpar a corrupção,
a demagogia, a hipocrisia, a manipulação,
o comodismo, a submissão, o vilipêndio,
o orgulho, o preconceito, a violência,
o roubo, a ignorância, o ódio, a inveja...
Mas as forças contrárias têm impedido
a realização desse sonho tão nobre.

Minha pedagogia é paulofreireana!
Minha pedagogia é pestalozziana!
Minha didática é o amor!
Somente com Pestalozzi, com Paulo Freire
e com os ensinamentos do mestre Jesus
podemos encontrar o caminho
que nos leva a um lugar singelo,
maravilhoso, sem esses males terríveis.
Mas esses males terríveis dão lucro
a muita gente que manda e desmanda,
a gente que governa e desgoverna
e estão dispostas a tudo fazer
para impedir educativas ações
a fim de tornar o país mais humano,
mais evoluído em inteligência e moral.

Estamos vivendo momentos cruciais
em que o ter supera o ser.
Em nome do ter vale tudo, tudo vale.
Vale explorar, maltratar, enganar,
corromper, destruir, agredir, mentir...
E a educação ministrada pelos governos
visa apenas desenvolver a capacidade de busca,
a capacidade de busca desse ter vil e cruel.
Nesse contexto estão sofrendo as pessoas
mais humildes, as pessoas pacíficas.
E a natureza está gemendo de dor!

Mas eu estou resistindo e ainda acredito
que vai chegar o momento em que o povo
descerá do comodismo e ajudará a fazer
da educação um instrumento de luta
em busca da liberdade, em busca da verdade,
em busca da fraternidade e assim fazer
o ser superar o ter. Então seremos felizes!

(Professor Candido)

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

ELE ESTÁ DE VOLTA.

VEREADOR CAPITÃO WAGNER ESTÁ TRABALHANDO MUITO NA CAPITAL CEARENSE.


Capitão Wagner abriu sua participação na primeira sessão da Câmara apresentando a contradição em evidência na segurança pública:


A opção do governo estadual em instaurar investigação para expulsar militares em vez de qualificá-los para combater o número de homicídios em Fortaleza, maior do que no município de São Paulo. Em nossa Capital, foram 1.628 em 2012, 131 a mais se comparado com a megalópole.

No pronunciamento de cerca de 14 minutos, Capitão Wagner trouxe do Supremo Tribunal Federal o exemplo para demonstrar o abuso de autoridade cometido contra a tropa que participou da assembleia da categoria no dia 03 de janeiro: a liberação para realizar a Marcha da Maconha, ao passo que os profissionais de segurança no Ceará são ameaçados de expulsão por participarem de uma reunião ordeira, desarmados, com a pauta do que foi ou não conquistado com o Termo de Compromisso.

O vereador anunciou que o indiciamento de 60 militares (44 PM's e 16 BM's) nos 5 IPM's e 12 PAD's resultará em denúncia à Procuradoria da República. E mais: amanhã, 6, Capitão promoverá uma audiência na sede da Aprospec (Rua Monsenhor Furtado, 758, Rodolfo Teófilo) a fim de informar o que será feito juridicamente para defender cada policial e bombeiro indiciados. O encontro terá início às 18h30min.

Até lá, Capitão Wagner continua dia e noite em busca de frear os desmandos do governo estadual contra a categoria.
Mais novidades surgirão amanhã, a partir das 9h, na Câmara Municipal de Fortaleza, no próximo pronunciamento do vereador mais votado na história da cidade.
Fonte: www.capitaowagner.com

VEREADOR MÁRCIO GARCIA VAI SE TRANSFORMANDO EM FENÔMENO DA CAPITAL DO RJ.

          Com apenas um mês e meio de mandato o vereador Márcio Garcia vem se transformando num fenômeno da política carioca. Político atuante e conhecedor das atribuições de um vereador, ele já está cumprindo suas promessas de campanha e tem tudo para dar certo. Político corajoso, honrado e honesto vem mostrando a cada dia que é possível fazer política da forma que o eleitor espera. Desejamos ao vereador todo sucesso, não podemos desejar sorte porque esta é para os fracos.        

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

FENÔMENO DO CEARÁ.


Um fenômeno, dizem os mais animados; enquanto outros observadores, ainda realizando análises, buscam motivos para a expressiva votação (43.655 votos) alcançada nas eleições para vereador de Fortaleza pelo capitão da Polícia Militar Wagner Sousa. Alguém que não contou com grandes financiamentos e, no entanto, auferiu a terceira maior votação do País nas eleições proporcionais de 2012.
Tal acontecimento não pode ser analisado através de paralelos com os campeões de votos das outras capitais, como a combativa “Professora do Youtube”, Amanda Gurgel, eleita em Natal (RN) com incríveis 8,59% dos votos válidos, a maior proporção entre as capitais. O diagnóstico deve ser feito buscando os fatos que realmente contribuíram com a épica vitória do capitão.
Assim, iniciamos a análise retornando ao ano de 2010, quando o então desconhecido capitão é lançado candidato a deputado estadual, obtendo os já surpreendentes 28.818 votos em todo o Estado, mostrando que os profissionais de segurança pública, especialmente os integrantes da Polícia Militar, haviam acordado para a política. Trata-se de um projeto coletivo, discutido inclusive nas redes sociais, no qual Wagner Sousa é, ao mesmo tempo, coadjuvante a protagonista.
Em 2011, é fundada uma nova associação, cujo presidente é o mesmo capitão. Nela foram congregadas diversas categorias de profissionais do campo da segurança pública, de agentes penitenciários a oficiais superiores das corporações militares estaduais. A atuação em prol dessa classe deu à figura do capitão uma credibilidade e aceitação que passou a chamar a atenção até dos políticos mais influentes e tradicionais do estado.
Tal credibilidade, somada às insatisfações dos militares estaduais, principalmente do recém-criado Ronda do Quarteirão, deu origem ao movimento mais inusitado da história contemporânea da Capital e, durante seis dias, Fortaleza foi abalada com o caos e o pânico causados pela paralisação das forças públicas de segurança do Estado. Nem mesmo o exército e a Força Nacional puderam impedir “o dia em que a terra parou”, 3 de janeiro de 2012, na capital alencarina. O movimento alcançou seus objetivos e a sociedade passou a considerar ainda mais a importância de seus policiais. A essa altura, o capitão já se tornava um grande vulto da história recente de Fortaleza.
Finalmente, nas eleições para vereador, a confirmação: Fortaleza vê uma campanha diferente, sem os velhos artifícios utilizados para ganhar eleições. Novos setores, tais como o dos policiais, antes alijados do processo político, agora surgem como verdadeiros protagonistas da história. O resultado foi a votação estratosférica do líder político.
 Anderson Duarte
Bacharel em Geografia e em Segurança Pública
Fonte: www.capitaowagner.com

FORÇA POLÍTICA É FUNDAMENTAL PARA A SOBREVIVÊNCIA DOS MILITARES ESTADUAIS.


Depois de tentar desde a greve da Polícia Militar de fevereiro do ano passado um canal de negociação com o Estado, o vereador soldado Prisco encontrou-se com o governador Jacques Wagner, na tarde de domingo de carnaval (10.02), após o convite do vereador Gilmar Santiago, que se ofereceu para intermediar um primeiro contato.
Ele foi recebido na sala vip, montado no interior do camarote do Governo, no Campo Grande, onde narrou os problemas enfrentados pela categoria, entre outros, durante a folia momesca, a exemplo da diária paga aos PMs que é de R$ 13,25.
O governador orientou o secretário de comunicação, Robinson Almeida, a procurar o vereador soldado Prisco, na quinta-feira (14.02), após o carnaval, para marcar uma reunião na governadoria que tratará das demandas dos PMs.
“Esta conversa foi muito produtiva porque conseguimos abrir as portas para a negociação. Vamos continuar cobrando, agora, com um canal de diálogo aberto”, analisou Prisco. Em nota ao Bahia Notícias, o governador  admitiu que Prisco tem uma representação e deve ser ouvido.
“É vereador da capital. Ele me disse que quer conversar comigo para contribuir. Eu aprendi na vida que a melhor forma de superar problemas é, pelo menos, ouvir as razões de quem pensa diferente de você”, disse ao site de notícias.
“No dia 10 de fevereiro de 2012 eu estava sendo preso e hoje um ano depois fui recebido na sala vip do governador do estado para iniciar um dialogo. Por isso eu digo sempre DEUS É FIEL.” fONTE:http://www.asprabahia.com



A foto do vereador Soldado Prisco junto com o governador Jaques Wagner, gerou uma certa polêmica. Não podia ser diferente, pois neste momento Prisco é a “bola da vez”.
Pois bem, a questão em tela é: Prisco se submete a uma “trégua” ou se alinha ao governador ao tentar canais de dialogo com ele? Usemos as palavras do próprio governador para explicar isso, em uma entrevista ao Bahia Notícias a respeito do encontro:
Eu tenho a minha posição e o vereador Prisco tem a dele…  …Eu não estou nem dizendo que concordei com nada que ele fez, nem, provavelmente, ele está dizendo que concordou com que eu fiz. Agora, se você não quer viver em guerra permanente, em algum momento você tem que abrir diálogo para superar as dificuldades.”
Ou seja, nem o próprio governador considerou este primeiro encontro um alinhamento de ideias. Há sim o início de um diálogo que, dependendo do direcionamento, com certeza será proveitoso para todos nós. Negociar, dialogar, chegar a um consenso, faz parte do que chamamos de política. O problema não é negociar e sim o que negociamos. Porque a negociação é arte de guerrear sem armas e a política é a arte da negociação. Quem não entende  este contexto, não entende o que é política.
Se observarmos, Prisco não perdeu a oportunidade do encontro para reivindicar, solicitou do governador a revisão das horas extras pagas aos policiais e bombeiros militares.
Outro ganho significativo neste encontro, mas não tão óbvio aos olhos da maioria, é o fato do governador reconhecer o Soldado Prisco como representante da classe. Como, aliás, o próprio governador diz na entrevista:
“Ele tem uma representação. É vereador da capital.”
Ou traduzem as próprias palavras de Prisco sobre o encontro:
“Há um ano eu estava preso e o governador não reconhecia a mim, tão pouco a ASPRA como representantes da classe. Fui eleito e sei da responsabilidade perante meus irmãos de farda. Sou revolucionário no sangue e na alma, mas não vou fechar portas que se abriram. O governador não me recepcionou no camarote e sim a categoria. Não delibero ou decido nada, meu mandato pertence a classe. Sou apenas um instrumento de negociação.”
Este encontro na verdade ratifica nossa coesão e a maturidade política adquirida pela classe. Demonstra também que temos um representante eleito, forte, maduro e ao mesmo tempo disposto a dialogar. No campo político muitas classes sonham com isso, nós já conquistamos este espaço. Por fim, na verdade este encontro é um grande passo para que possamos, juntos, construir uma polícia melhor e mais justa para os policiais e para a sociedade como um todo.
*Com informações da Assessoria de Comunicação
Fonte: http://www.asprabahia.com

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

PEC 300, ELA AINDA NÃO FOI ESQUECIDA..

  • PEC-00300/2008 - Altera a redação do § 9º do art. 144 da Constituição Federal.
 - 06/02/2013Apresentação do Requerimento de Inclusão na Ordem do Dia n. 6699/2013, pelo Deputado Major Fábio (DEM-PB), que: "Requer a inclusão na Ordem do Dia da PEC nº 300/2008, que estabelece que a remuneração dos Policiais Militares dos estados não poderá ser inferior à da Polícia Militar do Distrito Federal, aplicando-se também aos integrantes do Corpo de Bombeiros Militar e aos inativos. ".

          Senhoras e senhores,
          Temos recebido vários e-mails informando sobre a PEC 300. Não é segredo para ninguém que o 2º turno não aconteceu porque o governo emperrou o nosso sonho, transformando-o em pesadelo. Há de ser nada, as eleições estão próximas e teremos uma grande oportunidade de mostrar se somos fortes ou fracos. Em 2014 teremos que trabalhar dobrado para colocar no poder um Presidente que esteja de fato comprometido com a dignidade dos profissionais da segurança, da educação e da saúde. Sejamos honrados e não esqueçamos de tudo que passamos nestes tempos de luta. Forte abraço.
Equipe do Brado de Alerta.