A FRASE DE UM GRANDE AMIGO:

VOCÊ CONFIA EM MIM? DIAS DEPOIS ME CONVENCI DE QUE SÓ DEVO CONFIAR NA JUSTIÇA.

"Não se escravize às opiniões da leviandade ou da ignorância."
Não importa o que os outros pensam ou dizem de nós.
O que verdadeiramente importa é aquilo que realmente somos.
Tenha sua consciência tranquila, mesmo que seja condenado.
Não se esqueça de que Jesus foi condenado, e Herodes foi o vencedor momentâneo.
Mas responda: qual dos dois foi verdadeiramente o vencedor?
Fonte: Minutos de Sabedoria, C. Torres Pastorino

segunda-feira, 24 de junho de 2013

sexta-feira, 21 de junho de 2013

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Manifestação contra o aumento das passagens - Centro do RJ

ESSE HOMEM JAMAIS SERÁ ESQUECIDO.

Ex-comandante da PM é suspeito de ligação com morte de juíza

JORNAL O DIA 
 Secretário de Ordem Pública de Niterói, coronel Marcus Jardim, e o secretário de Políticas de Segurança de Duque de Caxias, Mário Sérgio Duarte
Ex-comandante da PM, o secretário de Políticas de Segurança de Duque de Caxias, Mário Sérgio Duarte, e cinco oficiais serão investigados por suspeita de envolvimento no assassinato da juíza Patrícia Acioli — morta com 21 tiros, em Niterói, em agosto de 2011. A determinação de abertura de Inquérito Policial Militar (IPM) foi feita pelo Ministério Público, que atua junto à Auditoria de Justiça Militar. Mário Sérgio pediu exoneração do cargo após o crime contra a magistrada.

No documento enviado à Corregedoria da PM, há ainda o pedido de investigação sobre a ligação do secretário de Ordem Pública de Niterói, coronel Marcus Jardim, com o jogo do bicho, aliado a outros sete oficiais que atuaram no 7ª BPM (São Gonçalo) — entre eles o tenente-coronel Claudio Luiz de Oliveira, ex-comandante da unidade, e o tenente Daniel Benitez — presos em unidades federais de Roraima e Mato Grosso do Sul, respectivamente, acusados da morte. 

CARTA ANÔNIMA
Uma carta anônima, encaminhada ao Ministério Público em agosto de 2012, é a base da abertura do IPM. Nela, é citado que Mário Sérgio, que nomeou Claudio para o 7º BPM, teria dívida com o oficial e relembra que o então comandante geral retirou a escolta da magistrada. À época, foi publicado no boletim interno da corporação que só Mário Sérgio poderia transferir novamente os três policiais. “A juíza não tinha escolta. Eles estavam ferindo o convênio com o Tribunal de Justiça, que era de fazer a segurança do Fórum de São Gonçalo”, afirmou Mário Sérgio.

O coronel argumenta que a magistrada não reclamou sobre a transferência dos militares.
Segundo o ex-comandante da PM, é a segunda vez que o Ministério Público pede investigação sobre ele com relação ao caso Patrícia. “Há um ano, dei todas as explicações em sindicância, arquivada. O material foi para a 3ª Vara Criminal de Niterói, onde tramita o processo sobre a morte”, alegou Mário Sérgio. Ele é testemunha de defesa do coronel Claudio. Na Justiça, 11 PMs respondem pelo crime, com cinco condenados. 

Jardim nega ter recebido dinheiro
De acordo com denúncia feita na carta anônima, os policiais do 7º BPM (São Gonçalo) receberiam até R$ 80 mil do jogo do bicho. Parte do dinheiro iria para o então comandante do 1º Comando de Policiamento de Área, coronel Marcus Jardim. “Nunca recebi dinheiro do bicho”, reagiu.
Jardim lembrou que ele foi excluído de investigação feita por Patrícia Acioli sobre o envolvimento de PMs com a contravenção . “Ela disse, na minha casa, que eu e dois coronéis éramos os únicos que não tinham ligação com o bicho. Essa denúncia é mentira”, protestou. Na Justiça, Jardim é testemunha de defesa do tenente-coronel Claudio.

Extorsões e orgias
Os cinco oficiais que serão investigados pela morte da juíza eram da equipe do tenente-coronel Claudio de Oliveira. O grupo é suspeito de envolvimento com o jogo do bicho. Segundo a denúncia, eles seriam suspeitos de extorquir dinheiro de comerciantes e de participar de orgias em casas noturnas de São Gonçalo.

Um deles é o major Rodrigo Bezerra, que chefiou o Serviço Reservado do 7º BPM e era braço direito de Claudio. Bezerra teve a prisão decreta por Patrícia Acioli, que era titular da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, em janeiro de 2011. Ele e outros quatro policiais foram presos acusados de matar George Silvestre, 17 anos.

Bezerra é testemunha de defesa de Claudio. As investigações sobre o assassinato revelaram que a juíza foi morta por combater autos de resistência — mortes em supostos confrontos com a PM — que eram forjados pelos PMs do 7º BPM.

domingo, 16 de junho de 2013

CHAMADA OFICIAL DOS MANIFESTANTES #oGIGANTEacordou BRASIL

MANIFESTANTES DENUNCIAM VIOLÊNCIA POLICIAL.

REPRESSÃO NO MARACANÃ.

DEPOIS DO GASTO DE BILHÕES E BILHÕES,VOCÊ DECIDE QUEM GANHOU.

Quem Ganhou mesmo? Em competência certamente foi o Japão.

Ontem assistimos a "vitória" do Brasil sobre o Japão. Mas foi no futebol, na disputa da Copa das confederações no Estádio Mané Garrincha em Brasília. Sim, só no futebol e por enquanto o Brasil consegue alguma vitória sobre aquele país que se reconstrói em tempo recorde após cada tragédia.


Em breve, com o futebol apresentado pelo Brasil e com a persistência do Japão em se aprimorar, seremos também perdedores em mais este quesito, pois incompetência passou a ser nosso maior troféu.

Há dois anos enchentes destruíram a Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro, onde denuncias e comprovações de desvios de verbas foram as campeãs em ações naquele evento. Até hoje a região não se recuperou dos estrago estando grande parte da população ainda desassistida.

Nova Friburgo recebeu R$ 10 milhões de verbas federais, mas desvio de dinheiro público paralisou obras emergenciais. Em toda a Região Serrana foram destinados R$ 540 milhões, mas a verba foi bloqueada após denúncias de corrupção.

Para os moradores ficou a incerteza e o medo de uma nova catástrofe. “A prefeitura não faz nada. Estão esperando acontecer outra tragédia”, critica a aposentada Iraci Mariano, 62 anos.



O Brasil está altamente envolvido em acordos políticos e afundado na corrupção, que não permite atenção aos que realmente necessitam de ajuda. A fome ainda se faz presente.

Dois anos depois das chuvas que devastaram a Região Serrana do Rio de Janeiro, os governos federal e estadual ainda não entregaram nenhuma das 5.304 casas prometidas na época aos desabrigados. 
O ESTADÃO

"A comida escassa devido à seca está fazendo piauienses caçarem roedores para complementarem a alimentação. No distrito de Brejinho, no município de Assunção do Piauí (273 km de Teresina), todos os dias no fim da tarde é comum ver moradores saindo para as áreas de grutas para colocarem armadilhas para pegar o "rato-rabudo"."




A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO É AINDA UMA INCÓGNITA
Tristes imagens do sonho de um projeto abortado (?) e um crime contra o patrimônio nacional
O custo? Impossível dizer ao certo, metade do valor estaria nos cofres e contas bancárias de gente ainda não inteiramente conhecida, uma corja. O meio ambiente, ao redor, cheio de perdas e destruído, tudo está parado e abandonado.
 
 
 
No Japão, um ano depois de tragédias como tsunami e terremoto, o País se reconstruiu trazendo para seu povoa tranquilidade e confiança em seu governo.







 
Os jogos que o Brasil sedia servirão e servirão única e exclusivamente para que um seleto grupo se beneficie e se locuplete do erário público.
 


Mas não desanimemos o povo acorda e começa a se rebelar, a bola de neve começou a rolar junto a bola dos jogos da Copa das Confederações, no primeiro jogo Dilma foi efusivamente vaiada.



 
Então, quem venceu mesmo? Deu Japão em competência, honestidade e compromisso com o povo.
Fonte: rchudo.blogspot.com.br

terça-feira, 11 de junho de 2013

PMs votaram o início da “Operação Tartaruga"


Policiais Militares votaram, durante assembleia, na tarde desta terça-feira, no Ginásio dos Bancários, pelo início da “Operação Tartaruga” até que o Governo do Estado decrete o fim da escala de ciclo/período e regularize da gratuidade do transporte público para PMs de toda a Bahia.
“Os dois pedidos são direitos previstos em lei e devem ser acatados de imediato. A categoria decidiu que se não resolvido o problema até dia 20, a “Operação Tartaruga” está mantida até a Copa das Confederações”, afirmou o vereador soldado Prisco, coordenador da Aspra.
Segundo o vereador, a legislação que regulamenta o trabalho da categoria prevê escalas de 40 horas semanais, que somadas não podem ultrapassar 160 mensais, no entanto os militares são forçados a cumprir 180, 200 e até 220 horas a cada 30 dias.
De acordo com o coordenador-geral da Aspra, a escala de ciclo/período é uma manobra do Governo do Estado para fazer com que PMs trabalhem mais que o previsto em lei sem pagar horas extras durante a Copa das Confederações.
Os PMs também querem a regularização imediata do direito de gratuidade do transporte público. “Pelo menos dois mil continuam tirando dinheiro do bolso para ir trabalhar. Não vamos aceitar. Ambos são direitos previstos em lei”, ressalta.
* Com informações da assessoria de comunicação.
Fonte: www.asprabahia.com

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Polícia Civil de Minas entra em greve e prepara ato público em BH

A Polícia Civil de Minas Gerais entrou em greve nesta segunda-feira. A decisão foi tomada em uma assembleia em 24 de maio. A categoria reivindica a revisão da Lei Orgânica da Polícia Civil, que define o plano de carreira da corporação, entregue à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para avaliação dos deputados estaduais. Ao meio-dia, haverá um ato público da categoria no pátio do prédio, que fica na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.


O Sindicato dos Servidores da Polícia do Estado de Minas Gerais (Sindpol-MG) divulgou uma cartilha orientado os policiais sobre os procedimentos que devem ser adotados durante a greve. A escala mínima de atendimento será mantida, de acordo com a lei de greve. De acordo com as determinações, somente serão formalizados os procedimentos de flagrante e Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs). Será feita a confecção do Registro de Eventos de Defesa Social (Reds) em 30% do total que normalmente é feito nas delegacias.

Também de acordo com a cartilha, durante a greve não serão instaurados inquéritos policiais por portaria, diligências preliminares, nem serão despachadas ocorrências policias. Também não serão feitas oitivas, intimidações, acareações, reconhecimentos e nem investigações. As viaturas caracterizadas só serão usadas em casos de extrema necessidade. Não serão realizadas operações para cumprimentos de mandados de prisão e busca e apreensão domiciliar, somente em casos inadiáveis ou que coloquem a vida de pessoas em risco. No Detran, serão feitos somente 30% de alguns serviços, entre eles, o emplacamento de veículos. 

Segundo o sindicato, o governo do estado já sinalizou uma nova discussão para uma possível reformulação do texto da Lei Orgânica e propondo abertura de concurso público para o cargo de investigador. Na quinta-feira, dia 13, haverá uma reunião na ALMG para um ajuste do documento com o apoio das entidades de classe.


via blog noqap.blogspot.com.br

domingo, 9 de junho de 2013

INAUGURAÇÃO À VISTA.

Policiais militares e bombeiros punidos por greve serão ouvidos em audiência


Gorette Brandão
A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) promoverá audiência pública para ouvir policiais civis, militares e bombeiros envolvidos em greves deflagradas em fevereiro de 2012 em 15 estados do país, além do Distrito Federal. Depois de serem submetidos a processos penais militares e disciplinares, muitos foram expulsos de suas corporações e hoje lutam pela reintegração.
O senador João Capiberibe (PSB-AP), junto com outros integrantes da comissão, assina o pedido para a audiência, aprovado na quinta-feira (6). Serão convidados para o debate, ainda em data a ser definida, o juiz José Barroso Filho, do Colégio de Magistrados do Brasil, e o ex-bombeiro Benevenuto Daciolo, do Rio de Janeiro, mencionado à época como um dos líderes do movimento grevista. Também devem participar diversos deputados estaduais.
Os policiais reivindicavam melhorias salariais e das condições de trabalho. No país, o direito de greve de servidores públicos ainda não está regulamentado. Projetos em exame barram o direito tanto aos integrantes das Forças Armadas como das chamadas forças auxiliares, como as polícias militares e corpos de bombeiros.

FONTE: Agência Senado

quinta-feira, 6 de junho de 2013

DECISÃO INÉDITA NA JUSTIÇA MILITAR DO RIO.

VITORIA! BOMBEIRA PUNIDA CONQUISTA O DIREITO DE PERNOITAR COM OS FILHOS EM CASA.


Veja abaixo a decisão.

Processo nº:
0191686-25.2013.8.19.0001
Tipo do Movimento:
Decisão
Descrição:
Autue-se. Inicialmente, cabe salientar que a ação de habeas corpus não permite dilação probatória, devendo o Impetrante se desincumbir do ônus de comprovar, por meio de prova pré-constituída, suas afirmações. In casu, não bastassem as alegações estritamente relacionadas ao mérito da punição administrativa, seja quanto ao seu teor, seja quanto ao seu quantum, apesar de alegar encontrar-se em período de aleitamento, não há qualquer comprovação de tal circunstância. Não se pode olvidar, somente é cabível a intervenção do Poder Judiciário em transgressões disciplinares quando ocorrer ilegalidade e/ou abuso de poder, não podendo o Poder Judiciário imiscuir-se no mérito administrativo, sob pena de violação ao princípio da separação dos poderes e da norma do art. 142, § 2º, da CRFB/88. Todavia, não se pode ignorar que a Paciente é mãe de quatro filhos, inclusive uma com pouco mais de um ano, razão pela qual, após análise dos argumentos expostos na inicial, DEFIRO, EM PARTE, O PEDIDO LIMINAR, determinando, em caráter excepcional, que seja oficiado à Autoridade nomeada coatora determinando que sejam cumpridos regularmente os trinta dias da punição infligida, devendo permanecer no quartel NO HORÁRIO DO EXPEDIENTE, inclusive finais de semana, facultando-lhe o pernoite em sua residência, caso assim deseje e desde que comprove o aleitamento. Venham as informações da autoridade nomeada coatora no prazo do artigo 472 do Código de Processo Penal Militar. Com a vinda das informações, dê-se vista ao Ministério Público, voltando, após, conclusos.
Fonte: www.marciogarciarj.com.br

domingo, 2 de junho de 2013